Rafael Andrade
Tubarão

Tubarão poderá não sediar a Olimpíada Estudantil de Santa Catarina (Olesc). Funcionários públicos da Procuradoria Geral do Estado contataram Alexandre Zaboti, presidente da Comissão Central Organizadora (CCO) dos jogos, ontem à tarde, solicitando mais documentos à prefeitura de Tubarão.

Segundo Zaboti, os documentos já foram enviados à secretaria estadual de cultura, esporte e turismo (SOL). “Agora, precisamos organizar a mesma documentação e enviar protocolada à Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte). Também é um órgão do estado, mas, segundo os procuradores, é necessário o procedimento”, explica Zaboti.
O processo pode atrasar as obras nas praças esportivas. A pista de atletismo da 3ª Companhia de Infantaria do Exército de Tubarão já foi reformada com dinheiro estadual liberado ano passado. Foram gastos R$ 120 mil no local.

Faltam ser repassados à CCO R$ 314 mil. São R$ 112 mil destinados à construção de uma pista de bicecross, na comunidade do Sertão dos Corrêa, e R$ 202 mil que podem ser repassados aos Clube 29 de Junho, na Passagem, e Clube de Campo, no bairro Aeroporto.

“Estão querendo ganhar tempo para não realizar os jogos aqui (em Tubarão) mais uma vez”, lamenta Zaboti. Ano passado, a cidade não sediou os jogos pelo surto da Gripe A (H1N1). Quase cinco mil pessoas entre atletas, técnicos e organizadores são ou eram aguardados entre os dias 16 a 23 de outubro para a disputa dos jogos.