Letícia de Oliveira

Tubarão

O contrato de venda do Estádio Aníbal Torres Costa, pertencente ao Hercílio Luz Futebol Clube, foi assinado na manhã da última sexta-feira. A compra foi feita pela empresa 3-SM Administradora de Bens, de São Ludgero, pelo valor de R$ 11 milhões. Na manhã de ontem, o presidente Fábio Mendonça concedeu entrevista coletiva para falar dos detalhes da negociação. Confira as respostas sobre a venda:

• O porquê da venda: “A venda do Estádio é comentada dentro da diretoria e do Conselho Deliberativo há alguns anos. A gente já vem estudando essa possibilidade. Estamos em uma área supervalorizada. Já estamos no centro da cidade. Outro ponto: o nosso espaço aqui já é pequeno para construir CT, alojamentos e até alguma coisa social para o nosso sócio. Então hoje nós já temos um espaço curto. E temos o ponto de tentar sanar o clube. Falta pouca coisa, então com essa venda as dívidas do Hercílio serão sanadas e automaticamente um dos clubes de Santa Catarina sem dever nada. Daqui a 15, 20 dias vai ser um clube totalmente livre de contas”

• Valor da venda: “Valor é uma coisa muito delicada de a gente lidar. Aqui se trata de uma sociedade, uma empresa sem fins lucrativos, ou seja, o clube é da torcida. Para Hercílio Luz sobrou R$ 11 milhões. É o que vamos ter em mãos, sendo o valor parcelado”.

• O valor é o suficiente para o novo estádio: “Tem várias pessoas experientes, como o ex-prefeito, que é engenheiro, temos um construtor, bem renomeado na cidade, tem advogados, pessoas dentro da diretoria com muita inteligência. Com certeza, se fosse para vender o Estádio e não tivesse condições de fazer outro, a gente não venderia. Então isso está bem estudado, está bem tranquilo. O Hercílio Luz vai ter o Estádio próprio dentro de três anos”.

• O novo projeto: “Para começar um projeto novo precisa de dinheiro. Isso aconteceu. A gente assinou o contrato na sexta-feira. O projeto em mente a gente tem. Em papel, de fato, ele será construído agora com a ajuda de todos. Em breve, a gente estará com essa planta, com o local tudo detalhado, para passar para os torcedores, diretoria e conselho”.

• Local do novo Estádio: “Vai ser em Tubarão, tenho certeza. Agora a região ainda está em estudo. A própria Imobiliária está nos auxiliando nisso porque sempre gostamos de trabalhar com profissionais. Então já estão à procura há algum tempo, o mais breve possível, sem cometer nenhum erro, porque a gente está com um valor que é de todos. Foi uma decisão para todos muito difícil, principalmente para as pessoas que estão aqui há muitos anos. Então a gente não pode brincar com isso. Vamos procurar a melhor área, que tenha um bom solo para fazer as instalações. Em breve, tenho certeza que já vamos ter esse local definido”.

• Reutilização das arquibancadas: “Foi feito um estudo também com essa parte. Já veio profissionais aí. Então tem uma grande chance de a gente aproveitar em torno de 80% das arquibancadas que já tem no Aníbal Costa”.

• Cronograma das obras: “Primeiramente a gente vai fazer o estádio, que é a nossa obrigação com os torcedores, e o CT. A parte social ficará para uma próxima etapa, mas ela já será erguida para um projeto futuro. Com certeza, para termos estádio, CT e área social tudo no mesmo espaço”.

• Permanência por 3 anos: “O comprador deu três anos para a gente ficar no estádio. Então é uma contagem regressiva que começou na sexta-feira. Creio que dentro de dois anos, no máximo, a gente já consiga estar com essa obra pronta”.

• Melhorias no Aníbal: “A gente vai passar por algumas melhorias na questão dos gramados e em todo o complexo também, porque nós temos três anos aqui para ficar ainda”.

• Dívidas: “O Hercílio Luz tem algumas dívidas que vem se arrastando há algum tempo, como IPTU, alguns encargos sociais, e restos de ações trabalhistas. A gente fez o levantamento antes de vender. Então, hoje, esta dívida é de cerca de R$ 600 mil”.

• Dívidas com jogadores: “O Hercílio Luz nunca deixou de falar o que deve. Como qualquer outra empresa, temos dificuldades. Então a gente deve para os jogadores uma parte de bicho do ano passado, que não foi depositado para alguns atletas, porque eles não tinham conta em seus nomes na época. Agora será feito esse pagamento essa semana. Também nos próximos dias será feito o pagamento dos fornecedores e os jogadores que ficaram com algum ‘pedaço’ desse ano para receber. Então vai ser todo equacionado dentro dessa semana agora”.

• Copa Santa Catarina: “A Copa Santa Catarina a gente vai fazer um estudo dentro da diretoria. Eu particularmente acho bem interessante, mas ainda não decidimos, porque a gente está nesse processo de venda e estamos concentrados nisso. Logo em seguida, já vamos ter uma posição e vamos passar para vocês”.

• O que representa a venda para o clube: “Representa algo novo. Acho que estamos aqui há muito tempo e respeitamos a casa. Temos respeito por esse espaço, porque vários presidentes, vários diretores, várias pessoas passaram por aqui, vários atletas. É um carinho muito grande, mas o Hercílio Luz não pode parar aqui. O clube tem que crescer. Está fazendo 100 anos este ano, estamos na primeira divisão, temos uma Série D ano que vem para disputar em nível nacional. Então temos que pensar para frente, não podemos se prender. O que a gente quer trazer é modernidade, profissionalismo para o clube. Tudo isso vai ocorrer com essa venda”.