O técnico Grizzo deverá trabalhar com um grupo de 20 jogadores profissionais contratados, e mais sete, vindos dos juniores.
O técnico Grizzo deverá trabalhar com um grupo de 20 jogadores profissionais contratados, e mais sete, vindos dos juniores.

Cleber Latrônico
Tubarão

No Domingos Gonzalez, o trabalho não para. Ontem de manhã, os atletas do Peixe participaram de um treino físico e técnico. Na parte da tarde, o trabalho foi inteiramente tático, sob o comando do técnico Grizzo.
Mas o dia de ontem também foi marcado pela chegada do volante Adebson. O jogador, que defendeu as cores do Imbituba no primeiro semestre, foi anunciado pela diretoria na última segunda-feira, e agora se juntou ao atual elenco.
Outro volante já contratado, mas que ainda não chegou a Tubarão, é Rodrigo Bagé. O jogador disputa a Série B do Gaúcho pelo Brasil de Farroupilha, e deve apresentar-se somente na segunda quinzena deste mês.
Grizzo afirmou que o clube deverá fazer pelo menos três amistosos ou jogos-treinos até o início da Divisão Especial, marcado para o próximo mês.

“Estamos ainda no início do trabalho. Mesmo assim, já gosto do que vejo! Dá para ver que o grupo tem muita qualidade. Vamos fazer de três a quatro jogos-treinos, para aí sim dar ritmo de jogo e aprimorar o coletivo”, disse o treinador.
O técnico deverá trabalhar com um grupo de 20 jogadores profissionais contratados e mais sete vindos dos juniores. Adriano, Mikael, Alesandro Gaúcho, Ranir, Yuri, Wellington, Francisco são os promovidos do clube. Natan, de 19 anos, vem do júnior do Imbituba.
Grizzo afirmou que outros juniores terão chances de acordo com a necessidade. “Temos outras boas peças na base. Saraiva, Luís Henrique e outros bons nomes que, se precisar, tenho certeza que darão conta do recado”, analisou.

Próspera pode fechar as portas

Com uma dívida de R$ 34 mil, o Esporte Clube Próspera poderá fechar as portas por um ano. A equipe de Criciúma foi condenada pelo Tribunal de Justiça Desportiva a pagar a dívida para a Federação Catarinense de Futebol.
Sem muitos recursos e com poucas opções financeiras, o Próspera deverá formalizar hoje o fechamento do clube, por um período. “Estamos tentando um lance de sorte. Infelizmente, não queria que acontecesse, mas é provável que a gente pare neste ano”, lamenta o presidente Cledonir Machado. Se o time de Criciúma não conseguir pagar, não poderá disputar a Divisão Especial.

Mesmo que o Próspera consiga o dinheiro, será preciso bancar os salários dos jogadores, situação nada fácil para o Prospinha. “Mas não nos basta o dinheiro para quitar o débito. Precisamos de garantias financeiras para conseguir tocar o time durante todo o campeonato. Sem isso, não temos condições de jogar”, reforça.
Segundo o presidente, será mais fácil o Próspera parar e voltar em melhores condições na 3ª divisão do Catarinense de 2012. Com a desistência, o Guarani de Palhoça será convidado para disputar a segunda divisão.
As escolinhas comandadas por Paulo Serrano seguirão com seus trabalhos normalmente.

* Do site Engeplus (www.engeplus.com.br).