Telam/Divulgação/notisul
Telam/Divulgação/notisul

Assunção, Paraguai 

Prestes a encarar o jogo de volta das quartas de final da Libertadores, o atual campeão River Plate-ARG pode ganhar um desfalque importante para o jogo contra o Cerro Porteño.

Nesta quarta-feira (28), a Polícia do Paraguai esteve no hotel em que o clube está hospedado para dar ordem de prisão ao uruguaio Nicolás De la Cruz, de 22 anos, acusado de agredir dois policiais há três anos, quando defendia o Liverpool-URU.

“Ele tem que testemunhar perante o Ministério Público primeiro. Ele tem que dar uma declaração e, em seguida, o Ministério Público torna disponível ao meu tribunal para que eu possa decidir o que corresponde. O fato que é atribuído a ele é a resistência que tem uma penalidade de dois anos ou multa. Tenho que decidir se dou liberdade a ele ou não. Para essa penalidade, a liberação é possível. Nós faremos o que for apropriado”, disse o juiz Alcides Corbeta.

A confusão aconteceu em 2016, quando De la Cruz, irmão do jogador do Santos, Carlos Sánchez, foi expulso durante a final da Libertadores Sub-20, contra o São Paulo, por uma entrada forte no adversário.

Após sair de campo, no túnel para o vestiário, o jogador teria agredido dois policiais em meio a uma confusão.

De la Cruz e outros quatro jogadores do Liverpool foram autuados na ocasião por “resistência à autoridade”, mas como retornaram ao seu país, a justiça local considerou que o jogador “se absteve” da resposta.

Ainda não se sabe se o atleta jogará contra o Cerro Porteño nesta quinta-feira (29), às 19h15. No confronto de ida, o time argentino venceu por 2 x 0.