Capitão do Leão, Rafael Lima (e) foi suspenso por seis jogos
Capitão do Leão, Rafael Lima (e) foi suspenso por seis jogos

 

Thiago Oliveira
Tubarão
 
O clima no Estádio Anibal Costa é de revolta. Após a polêmica arbitragem do jogo do Hercílio Luz contra o Camboriú (quando a equipe recebeu oito cartões amarelos e dois vermelhos), o Leão do Sul foi surpreendido com a punição aos seus jogadores no julgamento realizado pelo Tribunal de Justiça Desportiva, na noite de ontem. Rafael Lima, Elton e Leonardo foram punidos com seis jogos de suspensão.
 
Os atletas foram denunciados no artigo 257, acusados de promover uma briga generalizada após a partida da final do turno da Divisão Especial. Os jogadores só poderão participar do segundo jogo da final do campeonato se o Hercílio Luz conquistar o returno. Thiago Manzotti, Maicon e João Rodrigo, do Atlético de Ibirama, também receberam a mesma punição. Segundo o gerente de futebol do Leão, Márcio Azevedo, o clube ainda poderá tentar recorrer da decisão.
 
Antes do julgamento, o clima era de otimismo. “O que foi relatado pelo árbitro não é verdade. Eles não participaram de rixa nenhuma. O que aconteceu foi que os jogadores foram conversar com o árbitro, após o jogo, sobre o pênalti não marcado no lance anterior ao gol do Atlético. E depois alguns atletas do Ibirama provocaram jogadores e torcedores nossos. Alguns jogadores podem até ter se envolvido na briga, mas não aqueles que foram citados”, afirmou Sander Borba, diretor do Hercílio Luz. 
 
Para o jogo de sábado, o Leão não poderá com os três atletas julgados, além de Dalton, que recebeu o terceiro cartão amarelo, Giba e o técnico Joceli dos Santos, ambos expulsos contra o Camboriú.