O time do Leão treinou em dois turnos nesta sexta-feira
O time do Leão treinou em dois turnos nesta sexta-feira

Thiago Oliveira
Tubarão

A espera dos torcedores do Leão do Sul tem tudo para chegar ao fim neste fim de semana. Desde 1995 longe da elite do futebol catarinense, o Hercílio tem neste domingo a chance de voltar a figurar na primeira divisão. Para isso, basta empatar com o Atlético de Ibirama, fora de casa, a partir das 15h30min. Uma vitória também é bem-vinda, é claro!
 
O Leão do Sul tem grande tradição. Foi o primeiro clube catarinense a disputar uma competição nacional, a Taça Brasil de 1959, eliminado na primeira fase pelo Atlético Paranaense. Campeão estadual de 1958 e 59, foi assíduo na Primeira Divisão até 1975, quando, fragilizado pela enchente do ano anterior, acabou deixando o futebol profissional até o retorno, nos anos 80. E, se depender da torcida, os dias de glória voltarão logo. “O Hercílio vai ganhar com certeza. Vamos acordar Tubarão quando o time voltar, no domingo”, afirma animada a Dona Dalvaci, torcedora símbolo do Leão.
 
Nesta sexta-feira, o time treinou em dois turnos para o jogo decisivo. O técnico Joceli dos Santos ainda não definiu o time que irá entrar em campo, já que Luiz Henrique, Claudemir e André Luiz foram poupados por sentirem dores. No que depender de Luiz, a torcida pode ficar tranquila, pois ele espera estar em campo no domingo. “Preferi não treinar para me guardar para o domingo, já que é a partida que todos querem jogar. O empate garante o título, mas nós vamos com o objetivo de ganhar”, avisa o atleta.
 
José Acácio da Rocha, da CBF, será o árbitro da partida. Ele será auxiliado por Eberval Lodetti e Josué Gilberto Lamim.
 
Torcida promete invadir Ibirama
Os 257 quilômetros que separam Tubarão e Ibirama não devem ser empecilho para os torcedores do Hercílio Luz neste domingo. Vários carros devem dirigir-se ao local da final do turno da Divisão Especial do Campeonato Catarinense. E os torcedores que não puderem ir de carro têm uma outra opção. A Dona Dalvaci organiza um ônibus com destino a Ibirama. O transporte custará R$ 26,00, com saída marcada para as 8 horas de domingo, em frente ao Estádio Anibal Costa. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone 9987-8530.
 
Lá vai o Hercílio…
César do Canto Machado – Escritor
 
Não há como negar: para qualquer torcedor leonino, algo novo está por acontecer na história do futebol catarinense neste domingo, em Ibirama, ou seja, a volta triunfal do Hercílio Luz Futebol Clube à primeira divisão de profissionais, após um longo hiato de 20 anos, quando, em 1992, fez seu último jogo nesta categoria, contra a equipe da Caçadorense, em Caçador.
 
E é desse jeito mesmo, cheia de orgulho – e mais ainda de esperança – que vai ao “Estádio da Baixada” a sempre fiel torcida do Leão do Sul, ela que jamais deixou de acreditar no sucesso do clube, este que traz em sua bagagem uma longa história de quase 100 anos de glória, tempo que serviu, também, para mantê-lo como o mais antigo time profissional do estado em atividade.
 
E, como se fosse pouco, leva consigo a marca histórica de ter sido o primeiro time de Santa Catarina a disputar uma competição nacional – no caso, a Taça Brasil de 1959, quando, em dois jogos memoráveis, aqui e lá no Paraná, defrontou-se com o Clube Atlético Paranaense; fruto da conquista do Estadual 1958, título que seria, então, o do seu bicampeonato, já que em 1957 também levantara a taça mais importante da Federação Catarinense de Futebol.
 
Novos tempos. Com tanto otimismo, torcemos, então, para que entre a cidade de Ibirama para história do Hercílio Luz FC, como sendo aquela onde o Leão do Sul foi, viu e venceu, numa jornada inesquecível, cujo resultado passou a compor mais um belo capítulo de sua trajetória, justamente no momento em que encaminha as comemorações do seu centenário.
 
Que lá, também, onde bem perto passa um rio que se chama justamente “Rio Hercílio”, sua boa água, fazendo jus ao nome, lave a alma do interminável e apaixonado torcedor colorado, fazendo-o retornar para a Cidade Azul na maior e mais que merecida euforia.
 
Hercilista, à nossa vitória!