Foram até a Escócia a atleta Emilly Brolez Koch (E), o Sensei Murilo Ferreira de Figueredo e a campeã Júlia José da Costa (D)
Foram até a Escócia a atleta Emilly Brolez Koch (E), o Sensei Murilo Ferreira de Figueredo e a campeã Júlia José da Costa (D)

Letícia de Oliveira

Dundee, Escócia


A carateca natural de Laguna e moradora de Braço do Norte, Júlia José da Costa, de 10 anos, foi Campeã Mundial de Karatê, na competição disputada em Dundee, na Escócia. A atleta garantiu a medalha de ouro na modalidade Kumitê Shobu Nihon. Ela disputou a categoria de 10 anos de idade ou maiores de 1,45 de altura. A competição foi disputada no último fim de semana no país Europeu.


O interesse pelo esporte iniciou na curiosidade de conhecer as aulas que eram realizadas no bairro ao sete anos de idade. Júlia conta que os pais sempre a incentivaram a manter o foco no Karatê. Três anos após as primeiras aulas a carateca se tornou a melhor do mundo na sua categoria.


A conquista veio após muito treinamento ao comando do Sensei Murilo Ferreira de Figueredo. O professor da academia Dojo Figueredo falou que as rotinas de treinamento foram intensas com atividades voltadas para a competição. Com “treinos de até cinco horas por dia” a preparação incluiu os aspectos físicos e psicológicos, explica Murilo. Isso contribuiu para Júlia manter o foco até o Mundial.


Segundo o Sensei a principal característica da atleta é a disciplina em relação ao esporte. Todos esses elementos ajudaram Júlia a chegar até o Mundial. A carateca alcançou as primeiras colocações desde os campeonatos regionais, passando pelos zonais Sul e Sudeste, e chegando a Competição Nacional, organizada pela Confederação Brasileira de Karatê Interestilos (CBKI). Ao estar entre as melhores do Brasil, Júlia disputou o Sulamericano e garantiu vaga no Mundial da categoria.


A Competição Mundial


Na Escócia, a carateca enfrentou os melhores do planeta na modalidade Kumitê Shobu Nihon até 10 anos de idade. Foram quatro lutas até obter a medalha dourada. Júlia enfrentou atletas da Escócia, dos Estados Unidos, da Inglaterra e na final venceu a Romênia.


Sobre o sentimento de ser considerada a melhor do mundo na sua categoria, Júlia diz que é “muito bom” e que está “contente” com o resultado. É uma sensação de “trabalho e promessa cumpridos”.


Para o futuro Júlia já se projeta a preparação para defender novamente o Brasil e a cidade de Braço do Norte no Campeonato Mundial do próximo ano que vai ocorrer na Eslováquia. A atleta está convocada para a competição em 2019.


Além da campeã, Braço do Norte teve outra representante lutando na Escócia. Emilly Brolez Koch, de 15 anos, ficou em quinto lugar na categoria entre 15 e 17 anos de idade, disputando o katá e o kumitê. O professor Murilo também recebeu a graduação de árbitro internacional pela Federação Mundial de Karatê (WUKF).


As atletas e o Sensei chegaram na noite de ontem a Santa Catarina. As famílias e as autoridades municipais programaram uma grande recepção em Braço do Norte para a delegação.