Rafael Andrade
Tubarão

A comissão técnica Hercílio Luz tem ‘alguns abacaxis para descascar’. O time que disputará a última partida pelo quadrangular final da Divisão Especial do Catarinense – o jogo do ano para o Leão do Sul – terá cinco baixas. Três jogadores pediram dispensa e outros dois são desfalques.

O zagueiro Carlinhos, o volante Diones e o lateral esquerdo Johny não renovaram os seus contratos e já deixaram o Estádio Anibal Costa. Já o meia-atacante Ricardo, está contundido e fica afastado dos campos até o fim do ano. E o atacante Edson Bugrão cumpre suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo.
Outro problema é o adiamento do jogo contra o CFZ Imbituba. Inicialmente, havia sido agendado para hoje, mas foi remarcado para domingo, às 17 horas, no Estádio Emília Mendes Rodrigues, em Imbituba.

A mudança irritou os dirigentes do Hercílio Luz e do Porto. “É complicado aceitar sem poder fazer nada. O Juventus foi o maior beneficiado com isto. Foi uma imposição sem consultar os clubes”, lamenta o vice-presidente do Leão, Cláudio Fernandes.

O Hercílio Luz terá um acréscimo de aproximadamente R$ 5 mil em suas despesas com a alteração na tabela. São gastos com água, luz e alimentação dos jogadores. “Quem vai pagar este valor, a Federação (Catarinense de Futebol)? Acho que não”, acrescenta Fernandes.