Tubarão

Nelson Bavier não é mais o treinador da Seguridade/Unisul/Penalty. Depois de um acordo amigável com a diretoria do Unisul Esporte Clube, o contrato foi rescindido. Embora a campanha não tenha sido a esperada por todos, muito menos para ele, o carioca, eleito melhor jogador do mundo em 1995, deixou uma imagem positiva nos bastidores do futsal tubaronense.

“Ele é competente, comprometido e honesto com todos. O resultado não foi o esperado, coisas do esporte, mas Nelsinho é um grande profissional e excelente pessoa”, avalia o supervisor Michel Guedes.
A campanha na pré-temporada e a décima sexta colocação na Liga Futsal foram razões determinantes para a saída. “Time que não ganha sobra para o treinador. Esta máxima também está no futsal”, lamenta Michel.

Considerado um técnico inovador pela grande maioria dos que conviveram com ele dentro e fora da quadra, Nelsinho está visivelmente triste. “Eu acreditava muito neste projeto e no meu trabalho mais ainda. Na quadra, as coisas não saíram como o planejado. O grupo é sensacional, os jogadores são profissionais. Eles sentiram e ainda sentem o mesmo que eu. Espero que o próximo treinador possa fazer um grande trabalho como tentei fazer”, afirma Nelsinho.

Novo técnico
A diretoria e a supervisão da Unisul buscam outros nomes para substituir Nelsinho, mas não estão com pressa e analisam os treinadores disponíveis no mercado. “Precisamos escolher a pessoa certa para continuar este nosso projeto de fortalecer o futsal na Unisul e na nossa região. Vamos analisar os nomes com calma”, diz o supervisor Michel Guedes.