Amanda Menger
Tubarão

A diretoria do Hercílio Luz aguarda hoje uma resposta da Federação Catarinense de Futebol sobre o efeito suspensivo no caso do meia Rodrigo Silva. No julgamento desta semana, o atleta foi sentenciado a quatro jogos de suspensão por ter xingado o árbitro Célio Amorim, no jogo contra o Juventus, há 15 dias.

“Na verdade, Rodrigo não xingou o árbitro. Ele reclamou da expulsão de Alessandro, levou um amarelo e também foi expulso. Quando Célio mostrou o cartão, Rodrigo virou-se e falou um palavrão, mas não foi endereçado ao árbitro, foi uma reação ao momento, uma forma de desabafar. A sentença não foi unânime, por isso, recorremos”, justifica o supervisor de futebol do Leão, André Barcelos.
O efeito suspensivo foi solicitado ontem pela diretoria do clube. “Estamos otimistas. Acreditamos que o técnico Arnaldo Lira poderá contar com ele no jogo deste domingo, contra o Joaçaba. Ele é um jogador importante para equipe”, diz André.

Ainda sobre a estreia no returno, o supervisor afirma que não há nenhuma recomendação aos torcedores. “A Federação confirmou a realização da partida e não recebemos nenhuma orientação sobre o uso de máscaras pelos torcedores”, afirma André.