O jogador Zé Carlos poderá reforçar a equipe no jogo de sábado.
O jogador Zé Carlos poderá reforçar a equipe no jogo de sábado.

Criciúma

Uma conferência pouco comum em clubes de futebol de todo o Brasil fez a diferença no Criciúma Esporte Clube. Se o jogador Zé Carlos entrasse em campo, contra o Salgueiro, na última sexta-feira, o Tigre poderia ser punido com a perda de até seis pontos, dando adeus de vez às chances de acesso à Série A do Brasileirão. A listagem do Boletim Informativo Diário (BID), que foi conferida antes da partida pela Diretoria de Futebol do Tigre, não continha o nome do atacante, que, caso entrasse em campo, estaria irregular.

“Nossa diretoria de futebol é de excelente qualidade e executa serviços primorosos, sempre nos mínimos detalhes, para não deixar espaço a eventuais prejuízos ao Criciúma”, destaca o gerente de futebol, José Reis.
A 3ª Vara do Trabalho de Maceió enviou no dia 17 para a CBF, documentos que informam a extinção do processo, supostamente proposto pelo atleta Zé Carlos contra o Criciúma Esporte Clube. “Informamos que a demora das notificações judiciais ocorreu por conta da greve dos Correios, o que impediu que a CBF tomasse ciência da decisão judicial em tempo hábil”, explica a diretoria jurídica do clube. Com isso, a revalidação imediata do contrato não ocorreu e o nome do atleta não voltou a figurar no BID.

Apesar do nome do atacante ter retornado ao Boletim Informativo Diário, o Criciúma afirma que não dará o caso por encerrado. Zé Carlos está apto a jogar contra o Icasa, no sábado.