Marco Antonio Mendes
Tubarão

Você lembra do último jogo do Atlético Tubarão? Foi em 20 de abril, em Florianópolis. Era uma partida decisiva. Precisava vencer para não deixar a elite do futebol catarinense. Tanta pressão deu resultado. O time, comandado na época por Arnaldo Lira, venceu o Guarani por 1 a 0.

Agora a história é diferente. Na Copa Santa Catarina, não há riscos, há desafios. O primeiro deles, para os dirigentes tubaronenses, é testar e tentar manter a parceria com o Clube de Futebol Zico (CFZ) por aqui. Diversos jogadores e a comissão técnica do clube carioca já se mostraram interessados em continuar, mas tudo precisa ser avaliado durante o percurso do campeonato.

O outro desafio (um tanto difícil, mas não impossível) é conquistar o título da Copa e conseguir uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro de 2009, além de ser o representante catarinense na Recopa, competição a ser disputada pelas equipes vencedoras das copas regionais das federações Catarinense, Gaúcha, Paranaense e Paulista de Futebol.

“Vamos jogar com bastante dedicação. Não podemos começar a preparação para o próximo estadual em baixa. Espero que a parceria dê certo para evitarmos o que aconteceu no começo do ano com o risco de quase sermos rebaixados”, analisa o experiente volante Wilsão. Ele defendeu o Atlético na Divisão Principal e o Hercílio Luz, na Divisão Especial. “Temos que deixar a rivalidade para os torcedores”, analisa.

A estréia do Atlético Tubarão será neste domingo. O time enfrenta a Chapecoense, às 16 horas, no oeste do estado. Os adversários, aliás, já fizeram o primeiro jogo quarta-feira e empataram com o Joinville em 2 a 2.