Joanesburgo, África do Sul

Sem mãos nas costas, treino especial ou cuidado da fisioterapia. O goleiro Julio Cesar participou normalmente da atividade técnica comandada por Dunga na tarde de ontem, na Hoerskool. Mais que isso! O camisa 1 teve boa atuação no trabalho. Foi o goleiro menos vazado.

Dunga separou os jogadores em quatro times. Dois deles enfrentavam-se em campo reduzido, dando toques rápidos na bola. As outras duas equipes ficavam fora, mas podiam tabelar com os demais. A cada cinco minutos, os papeis invertiam-se.

Os goleiros fizeram um revezamento próprio. Cada um disputava duas partidas seguidas, descansava uma e retornava. Julio Cesar teve o melhor desempenho entre o trio. Saltou nas bolas altas, fez sequências rápidas de defesas e até dividiu jogada mais dura com Grafite. A única diferença em relação a Gomes e Doni foi que, ao fim do treino, Julio Cesar não ficou no campo para defender pênaltis e faltas batidos por Júlio Baptista, Daniel Alves, Elano e Michel Bastos.

Pela manhã, Julio Cesar voltou a chamar atenção durante treino fechado. Do muro da escola, foi possível ver o camisa 1 levando as mãos às costas algumas vezes. Deu sinais de que a região ainda não estava totalmente recuperada.

A lesão
Julio Cesar tomou uma pancada nas costas há nove dias, na vitória por 3 a 0 sobre o Zimbábue, em amistoso realizado em Harare. Foi substituído ainda no primeiro tempo por Gomes. Nos dias seguintes, ficou fora de dois treinos para realizar apenas tratamento.