Entre os desafios do Atlético Tubarão, a grama sintética da Baixada e a pressão da torcida de um estádio de Copa do Mundo   -  Foto: Divulgação/notisul
Entre os desafios do Atlético Tubarão, a grama sintética da Baixada e a pressão da torcida de um estádio de Copa do Mundo - Foto: Divulgação/notisul

Curitiba (PR)

Cinco times de Santa Catarina jogam hoje pela Copa do Brasil em partida única e eliminatória. Figueira e Criciúma jogam em casa contra Oeste e Cianorte. Para Joinville, Avaí e Atlético de Tubarão o desafio é maior com partidas no campo  adversário. O JEC vai até o Serra Dourada encarar o Vila Nova, o Avaí está em Caxias para pegar o Juventude e o Tubarão joga na grama sintética da Baixada, contra o Atlético Paranaense.

O Atlético Paranaense relacionou 22 jogadores para a partida com o Peixe. O técnico Fernando Diniz não contará com o goleiro Léo, com uma lesão no músculo adutor. Empate leva para os pênaltis e o classificado encara, na terceira etapa da Copa do Brasil, o vencedor de Londrina x Ceará. A previsão é de muita chuva, mas o teto retrátil da Baixada poderá ser acionado. Com dois desfalques, Rodrigo Alves e William Mineiro, que tiveram lesões musculares na coxa direita, o Peixe joga sua primeira partida oficial fora de Santa Catarina. “Não tivemos muito tempo de descanso e focamos na recuperação dos jogadores. A carga mais pesada de trabalho acabou sendo os próprios jogos” explica o preparador físico da equipe, Agenor Junqueira.

Para o Criciúma, a ausência do atacante João Paulo, autor dos dois gols no JEC, foi sentida na rodada passada do Estadual. O placar de 0 x 0, de domingo, contra o Hercílio Luz, em Tubarão, ligou o sinal de alerta para a Copa do Brasil. “Ele volta amanhã contra o Cianorte. O Mateusinho era o nosso único atacante de beirada no banco. Ele entrou, mas estava treinando só há dez dias com o grupo”, lembra Grizzo. “Não podemos ousar muito”, defende o treinador, ao enumerar as dificuldades que vem encarando para tentar mudar os números do Tigre. “Precisamos ter cuidados físicos, temos o Eltinho, que ainda não encara 90 minutos, o Luiz Fernando cansou também no jogo passado”, observa.

O Figueira pega o Oeste no Orlando Scarpelli. Em quatro confrontos, o Alvinegro registra uma vitória e três empates. Todas as partidas foram pelo Campeonato Brasileiro da Série B. Após a partida com o Oeste, o Figueirense volta a jogar em casa no próximo dia 4, quando receberá o Tubarão, pela 11ª rodada do Campeonato Catarinense. O outro time da capital joga hoje no Rio Grande do Sul. Avaí e Juventude se enfrentaram 17 vezes na história com seis vitórias do Leão, cinco empates e seis vitórias do Juventude. Além do jogo contra o Vila Nova, em Goiânia (GO), o Joinville também aguarda a definição da sequência de jogos pela Série C do Campeonato Brasileiro. Estão no Rio de Janeiro, para o Congresso Técnico, o diretor financeiro Alexandre Poleza, e o advogado, Roberto Pugliese Júnior.

O JEC estará no grupo junto com Bragantino-SP, Botafogo-SP, Tombense-MG, Tupi-MG, Volta Redonda-RJ, Operário-PR, Cuiabá-MT, Luverdense-MT e Ypiranga-RS. Resta conhecer a sequência de jogos.