Letícia de Oliveira
Tubarão

A karateca Alice Miranda vai ser a mais jovem atleta a receber a comenda Salim Mussi Miguel. Essa é a maior homenagem esportiva de Tubarão. Com apenas 14 anos, a atleta já é a número um do Ranking Nacional e está em 22ª no Ranking Mundial.

O amor pelo karatê começou na Escola João Paulo 1º (Caic), quando Alice teve contato com o esporte por meio do Projeto Mais Educação. A primeira competição que a karateca participou foi um Festival no Ginásio Jacob, em 2015. A estreante se destacou e recebeu convites para treinar e competir em nível estadual e nacional.

“Sempre fui aquela menina que fazia todos os esportes, até que chegou uma vez que eu comecei no karatê. Desde então, levei a modalidade mais a sério. Teve um Festival no Jacob, no mês de julho de 2015, daí eu fui convidada a treinar na Academia Impacto. Em agosto daquele ano, participei do meu primeiro campeonato e eu fui campeã. Em 2016, comecei a participar de todas as competições, então conquistei o Estadual e fui campeã Brasileira da Série B”, recorda a karateca.

Em 2017, Alice iniciou as disputas internacionais em grandes torneios. Os resultados no Pan-Americano e no Mundial a ajudaram a chegar na 22ª posição do Ranking. Os títulos alcançados são fruto do empenho e treinamento da atleta.

“Treino todos os dias, de segunda a sexta, em média quatro horas por dia com o técnico Fabricio de Souza. Em véspera de competições, também me preparo aos sábados”, detalha Alice.

Com tanto foco e bom desempenho, a Fundação Municipal de Esportes de Tubarão decidiu contemplá-la com a comenda Salim Mussi Miguel, apesar de a karateca ter apenas 14 anos. Assim, Alice se torna a mais nova a receber a maior homenagem do esporte da Cidade Azul.

“Não imaginava que iria ser homenageada. Soube por meio de uma reportagem e do meu sensei. Como sou a atleta mais nova é muito gratificante saber que todo o meu esforço teve este resultado”, comemora.

Com alguns sonhos já realizados, Alice projeta novos triunfos na carreira. “O primeiro é entrar para a Seleção Brasileira e esse eu conquistei em 2017. Até que veio o segundo passo, que era ser campeã Sul-Americana. Então viajei para o Pan, em Buenos Aires, e não consegui pegar medalhas, mas fiquei em quinto lugar. Agora meu sonho é ser campeã Pan-Americana. Também fui para o Mundial com a expectativa de conseguir passar uma rodada. Chegando lá eu passei três e fiquei em sétimo. Meu sonho agora é tentar as Olímpiadas de 2020, no Japão, e também ser campeã do mundo”, planeja a tubaronense.

Neste ano, Alice tenta vaga para participar do Pan-americano do Rio de Janeiro. A comenda ainda não tem data para ser entregue, mas a previsão é que ocorra no mês de maio, integrando a programação de aniversário de 148 anos do município.