Paulinho Sachetti
Tubarão

Quem foi ao estádio Domingos Gonzales ontem pôde observar uma nova dinâmica nos treinos do Atlético Tubarão. Agora sob o comando de Arnaldo Lira, os jogadores passaram a ter uma nova filosofia dentro e fora de campo, diferente de como ocorria com o ex-treinador, o criciúmense Alexandre Pandóssio.
Uma das primeiras atitudes de Lira ao chegar na Vila, ontem pela manhã, foi conversar com os atletas.

Explicar as suas intenções e objetivos. O seu método de trabalho é bastante conhecido. Além de treinador, é também tratado como uma espécie de ‘psicólogo’.
Na parte da tarde, comandou o primeiro coletivo e já deu mostras que mudará o time para a partida de domingo, contra o Metropolitano, no Alto Vale de Itajaí, pela terceira rodada do returno do Campeonato Catarinense.

Uma das mudanças visíveis foi a escalação do volante Fabrício no lugar de Mikael. “Ainda não podemos afirmar nada. Sabemos da situação do time, mas não chega a ser desesperador. Confio no meu trabalho e da diretoria e, por isso, aceitei esse desafio. Se não fosse possível, eu não aceitaria o convite para dirigir o time”, declarou o treinador.