Chances de subir à Série A são de 95%, segundo os matemáticos. Foto:Divugação Chapecoense

Após um rebaixamento amargo e inédito em sua história no ano passado, a Chapecoense caminha a passos largos para voltar à Série A do Brasileirão em 2021. Após a vitória sobre o Confiança por 2 a 0, no último sábado, em Aracaju, o Índio Condá garantiu o título simbólico do primeiro turno da competição e dá mostras de ser não apenas um claro favorito ao acesso, mas também à conquista da taça da segundona.

Desde 2006, quando a Série B passou a ser disputado em turno e returno, apenas em três oportunidades o campeão do primeiro turno acabou fora do G4: Coritiba em 2006, Criciúma em 2007 e Ceará em 2014. Em 50% das vezes, quem terminou na frente nas primeiras 19 rodadas terminou com a taça, vide os três últimos anos com RB Bragantino (2019), Fortaleza (2018) e América/MG (2017).

Outro fator contando a favor do time de Chapecó é a ampla vantagem para o quinto colocado, posição atualmente ocupada pela Ponte Preta: são 10 pontos de diferença. Os matemáticos já apontam uma chance de 95% de acesso para o alviverde.

Time está há 16 jogos sem derrota, 14 deles pela Série B. Foto: Divulgação/Chapecoense.

A solidez do time comandado por Umberto Louzer é o que mais credencia a Chapecoense à Série A e ao título inédito. A equipe sustenta uma invencibilidade de 14 jogos na competição. A última (e única) derrota foi em agosto, contra o vice-líder Cuiabá. Neste período, além da boa campanha na Série B, a Chape conquistou o Campeonato Catarinense (que retornou após longa suspensão) ao superar o Brusque em dois jogos. Ou seja, considerando todos os torneios, são 16 jogos sem perder.

 

Estatísticas dentro da competição confirmam favoritismo

Defesa, comandada pelo goleiro João Ricardo, é o ponto forte da equipe. Foto: Divulgação/Chapecoense

Não há como negar que os números estão totalmente a favor da Chapecoense. A equipe do interior de Santa Catarina é a líder de uma série de estatísticas positivas na Série B do Brasileirão. De acordo com o Infogol, a Chape é o time que mais venceu e o que menos perdeu na competição, além de ter a melhor defesa, com apenas cinco gols sofridos em 19 partidas.

A defesa, inclusive, é o ponto forte do Índio Condá. Sem sofrer gols em 15 dos 19 jogos, a equipe quebrou um recorde nacional na era dos pontos corridos em todas as divisões. A marca anterior pertencia ao Corinthians de 2017, que fechou o turno sem levar gols em 13 partidas – e acabou campeão da Série A.

O único aspecto em que a equipe precisa melhorar é o ataque. Com 21 bolas nas redes, a Chapecoense tem a segunda pior marca entre os 10 primeiros, superando apenas o América/MG, que marcou 20 vezes. A boa notícia é que a Chape terá reforço no setor: o atacante Mike, ex-Goiás, foi contratado. No entanto, a maior esperança de gols segue sendo o experiente Anselmo Ramón, artilheiro do Verdão na Série B com 5 gols.

 

Técnico disse não ao Cruzeiro

Louzer quase foi para o Cruzeiro, mas acabou ficando na Chape. Foto: Divulgação/Chapecoense

 

Um dos grandes personagens da ótima campanha da Chapecoense na temporada é o técnico Umberto Louzer. Ele assumiu o time em fevereiro, na lanterna do Campeonato Catarinense, após a demissão de Hemerson Maria. De lá pra cá, foram 19 vitórias, 10 empates e apenas 1 derrota, um ótimo aproveitamento de 74%. Apesar da eliminação na Copa do Brasil para o São José/RS nos pênaltis, ele comandou a incrível reação no Estadual que terminou com o título.

A ótima campanha na Série B chamou a atenção de um gigante do futebol brasileiro, o Cruzeiro. Louzer foi procurado pela Raposa após a saída de Ney Franco, em outubro, e por muito pouco não deixou a Chapecoense. Alguns veículos noticiaram, inclusive, o acerto financeiro e de tempo de contrato do treinador de 40 anos com o clube mineiro, mas Louzer optou por dar seguimento ao projeto no Índio Condá e disse não ao Cruzeiro.

“Pesou nesta decisão minha vontade de permanecer e concluir o que começamos. Além disso, prezo por cumprir meu contrato por onde passo e aqui não será diferente”, disse Louzer à época. A decisão se mostrou correta. Enquanto a Chapecoense briga pelo título da Série B, o Cruzeiro é o 16º colocado e está à beira da zona do rebaixamento para a Série C.

Apesar da larga vantagem em relação ao quinto colocado e às ótimas chances de acesso, o treinador diz que o time precisa ter pés no chão no segundo turno. “O título simbólico representa a primeira parte de um caminho alcançado. A gente sabe que tem muita competição ainda para disputar, então a tônica da nossa fala pós-jogo foi justamente isso”, afirmou Louzer após a vitória contra o Confiança.

No próximo sábado, o Verdão do Oeste inicia sua caminhada no segundo turno diante do Oeste, na Arena Condá, às 21h. São mais 19 jogos para que o sonho do retorno à Série A se concretize, além da possibilidade de um inédito título nacional para a Chapecoense.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul