Tubarão

Foram necessários nove jogos. Mais de 810 minutos. Mas finalmente, o Atlético Tubarão conquistou a primeira vitória no Campeonato Catarinense. 

No sofrimento, o Peixe superou o Joinville por 3 a 2 com gols de Roberto e Daniel Costa (duas vezes). O JEC diminuiu com Nathan Cachorrão e Hugo Almeida.

Com o resultado, a equipe tricolor sobe para cinco pontos na tabela. Ainda segue na lanterna, mas pode escapar da zona do rebaixamento caso vença o Hercílio Luz no domingo.

Primeiro tempo fulminante

Em campo, do elenco já conhecido, uma camisa chamava a atenção. A 11 estava com o jovem Roberto, que chegava das categorias de base. E que tomou conta do jogo.

Logo aos três minutos, acertou uma bola na trave. Aos nove, parou no goleiro. E na terceira tentativa, não perdoou. 

Aos 11 minutos, o menino acertou uma bomba na entrada da área e abriu o placar. Na comemoração, foi abraçado pelo técnico interino Beto Almeida, que se despedia da equipe principal.

Depois foi a vez do Mago brilhar. Aos 15 minutos, Daniel Costa acertou grande passe para Oliveira, mas o lateral chutou por cima. 

Aos 21, em mais uma tentativa de passe do Mago, a bola tocou no braço do zagueiro Luan. O próprio Daniel Costa bateu bem e ampliou.

O Peixe não parava e seguia criando chances. Primeiro tirou tinta da trave na cabeçada de Canavésio e depois a bola passou perto no chute de Daniel Costa, que em seguida faria mais um. Aos 38 minutos, após o contra-ataque em alta velocidade, Fio lançou o Mago que invadiu a área e tocou na saída do goleiro.

Segundo tempo de tensão

O torcedor que já esperava uma goleada, viveu momentos de tensão no segundo tempo. Na primeira jogada, Baianinho marcou para o Joinville, mas a arbitragem anulou por estar em posição irregular. 

Mas aos quatro minutos, o JEC aproveitou. Baianinho foi lançado pelo lado direita e rolou rasteiro para Nathan Cachorrão marcar.

Aos 24, a tensão ficou ainda maior com o segundo do Joinville. Baianinho fez o cruzamento e Hugo Almeida cabeceou com força para diminuir.

O Peixe até teve chances de matar o jogo no contra-ataque, mas quem assustou mesmo foi o time do Norte. Aos 44, o JEC poderia empatar com Caíque, mas o meia chutou para fora, para a festa da torcida tricolor.