Foto: Divulgação/Notisul
Foto: Divulgação/Notisul

Tubarão

Para comprovar a segurança dos torcedores dos estádios Orlando Scarpelli, em Florianópolis, e Aníbal Costa (foto), em Tubarão, vistorias e auditorias nos laudos de engenharia serão realizadas pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e pela Federação Catarinense de Futebol (FCF). Os estádios foram selecionados por meio de sorteio, em reunião realizada na tarde da última quarta-feira, na sede do MPSC, em Florianópolis.

No caso do Figueirense, primeiro estádio sorteado, a Federação Catarinense de Futebol assumiu a obrigação de contratar um engenheiro eletricista e um arquiteto ou engenheiro civil para realizarem vistoria no estádio e emitirem novo Laudo de Vistoria de Engenharia, no prazo máximo de 30 dias.
Já no caso do Hercílio Luz, segundo estádio sorteado, o Laudo de Vistoria de Engenharia já entregue pelo clube, antes do início do campeonato, passará por auditoria pela equipe técnica do Ministério Público, para identificação de eventual inconformidade.

Os dez clubes que participam do Campeonato Catarinense deste ano já apresentaram os laudos exigidos pelo Estatuto do Torcedor para o MPSC e, segundo a documentação, nenhum deles apresenta risco ao torcedor. “Agora que já foi iniciada a competição, e entregues os laudos dos estádios, o objetivo é fazer uma nova análise e confirmar aquilo que foi informado: que não tem nenhum risco para os torcedores e funcionários nos estádios”, explica o promotor de justiça Eduardo Paladino.

O sorteio das vistorias faz parte de um Termo de Ajustamento de Conduta entre o MPSC, a FCF, a PM/SC e a Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina (SCCLUBES). O termo foi firmado em 2013 e, desde então, dois clubes são selecionados anualmente para serem vistoriados. De acordo com o TAC, não serão repetidos os laudos a cargo da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária.

Participaram do sorteio nesta quarta-feira os promotores de justiça Eduardo Paladino, titular da 29ª Promotoria de Justiça da capital, e Greicia Malheiros da Rosa Souza, coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Consumidor (CCO); o engenheiro da SCClubes, Renê da Silva, o consultor jurídico da FCF, Rodrigo Capella, o presidente da Comissão de Segurança no Futebol da PM/SC, tenente-coronel Sandro Cardoso da Costa, e o coronel do Corpo de Bombeiros, Claudio Eduardo Hochleitner.

O resultado da vistoria e da auditoria dos laudos deverá ser apresentado em até 30 dias ao Centro de Apoio Operacional do Consumidor (CCO) do MPSC.

Aníbal Costa
O Leão do Sul realizou, no ano passado, a venda do seu maior patrimônio: o Estádio Dr. Áníbal Torres Costa, na avenida Pedro Zapelini, em um ponto imobiliário considerado como nobre na cidade. A negociação rendeu cerca de R$ 13 milhões ao clube, que completou 100 anos no último mês de dezembro e já conquistou o título de campeão catarinense por duas vezes: 1957 e 1958. O capital será investido na construção de uma arena moderna e mais atrativa aos sócios e torcedores. O local onde será erguida a nova estrutura deverá ser divulgado pela diretoria até o fim deste ano.