Camboriú

Atendendo ao desejo de filiados que já se manifestaram favoráveis, o presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Rubens Angelotti estuda com o Departamento de Competições Principais da entidade, Associação de Clubes do Futebol Profissional de Santa Catarina e presidentes das associações filiadas, a viabilidade técnica da ampliação do número de participantes da Série A de 2021. O times participantes iriam passar de 10 clubes para 12 clubes pretendidos.

Como a legislação exige a manutenção da mesma fórmula de disputa por um prazo mínimo de dois anos, é possível adequar os regulamentos de 2019 para o cumprimento das novas metas em 2021. O desejo dos filiados foi ratificado nos contatos feitos por Rubens Angelotti com todos os presidentes de clubes que apoiaram a iniciativa.

Para o presidente Angelotti a ampliação do número de clubes no principal campeonato da FCF, atenderá aos anseios de vários segmentos do futebol catarinense. A norma é uma forma de premiar os clubes que, nas divisões classificatórias, estão procurando cumprir as novas exigências aplicadas pela entidade nas melhorias e modernidades das praças esportivas, com o recente caderno de encargos que a Federação disponibilizou aos seus filiados e exige seu amplo cumprimento até 2020. “Vamos, no entanto, aguardar pela manifestação do nosso departamento competente pois temos que nos adequar ao calendário da CBF” concluiu o presidente da FCF.

Outro argumento em defesa da possível alteração é o crescimento técnico das divisões classificatórias, como a recente Série B, vencida pelo Metropolitano no último domingo. Naquele campeonato além do campeão Metropolitano, também o Marcílio Dias conquistou o direito de disputar a Série A de 2019, premiando duas grandes forças do nosso futebol e suas cidades economicamente expressivas.