Criciúma

O empate no último domingo, contra o Atlético Tubarão, deixou um pouco de frustração no Hercílio Luz, já que mesmo sendo um clássico, e voltando a somar pontos depois de três derrotas seguidas, a equipe segue colada nos dos últimos colocados. Apenas um ponto separa o Leão do Sul do Metropolitano e do Peixe, que estão na zona de rebaixamento. 

E na noite desta quarta-feira, o time colorado tem mais um confronto decisivo. O Hercílio Luz vai a Criciúma, onde enfrenta os donos da casa, que também estão na parte de baixo da tabela. A partida está marcada para as 20h, no estádio Heriberto Hülse.

Com 10 pontos, o Tigre quer se afastar de vez da zona de rebaixamento e tentar se aproximar das equipes do G-4. Já o Leão do Sul, em caso de vitória, chega ao mesmo número de pontos do adversário, e abre uma boa vantagem para os rivais de baixo.

“A confiança é muito grande. Nós acreditamos no potencial do grupo. Sabemos que somos capazes de fazer um grande jogo contra o Criciúma. Sabemos que não seara um jogo fácil. O Criciúma briga ali conosco para se livrar de uma zona perigosa, mas não deixa de ser o Criciúma. Uma camisa pesada, uma equipe forte. Vamos procurar fazer o melhor possível”, destacou o treinador Oliveira Canindé.

Para o jogo de hoje, o treinador revelou que poderá não ficar apenas esperando o adversário. “Temos uma maneira de jogar, esperando mais. Mas também, uma outra maneira de propormos mais. Sair e deixar espaços”, disse Canindé, que também não confirmou a equipe titular. “Nós trabalhamos com uma equipe, não apenas com 11. Quem está em campo ou faz parte do grupo, tem condições de jogar. Temos que fazer uso do que temos de melhor no elenco. Quem entrar, tem que entrar para fazer a diferença. Para sermos competitivos, qualificados e surpreender os adversários dentro dos seus domínios”, completou o treinador.