Marco Antonio Mendes
Tubarão

Se Benson será uma bênção para o Atlético Tubarão, ainda não se sabe. Mas o zagueiro e volante chega ao time como um dos principais reforços para a etapa decisiva do Campeonato Catarinense. Junto com a atual equipe e os novos que ainda chegarão, o jogador tem como objetivo fundamental afastar a maldição que vem tirando o sono de dirigentes, comissão técnica e até torcedores. O clube entra no segundo turno da competição com apenas quatro pontos e em nono lugar na classificação.

Benson sabe muito bem o que terá que fazer. “O time passa por uma fase nada boa, isto é fato. O grande problema foi não ter vencido os jogos dentro de casa. Além disso, a equipe tem muitos atletas jovens. Acho que um pouco de experiência ajuda a equilibrar a situação”, sugere o reforço, que chegou ontem e já treinou como todos os outros.

Com passagem em clubes como o Marcílio Dias, Atlético de Ibirama, União Rondonópolis (MT), Joinville e tantos outros, o zagueiro diz que sua especialidade é o futebol catarinense. “Já perdi até as contas de quantos campeonatos daqui participei. Tenho certeza que esta experiência que tenho no nosso futebol ajudará. Conheço muito atleta que joga no Estadual. Isso ajuda um pouco”, diz Benson, que garante estar em forma.

“Eu não estava parado, não. Quero entrar em campo já no próximo jogo e ver o que podemos fazer para mudar nesta situação. Pegar o Figueira? Estou louco para que isso aconteça”.
Além do zagueiro, o atacante Guilherme deve chegar hoje ao Domingos Gonzales. Dois jogadores do Atlético Paranaense também estão para desembarcar por aqui. Há previsão de que os novos comandados de Joceli estreiem neste fim de semana, na primeira rodada do returno.

Fábio Bala e seu desânimo

O atacante Fábio Bala anda desanimado. O jogador não se conforma com a atual situação de não poder jogar. Ele, que não entrou na última disputa, na derrota para o Brusque, está desde a semana passada parado.
“Eu não sinto dor. Tive algumas fisgadas, mas eu não vou forçar. Eles disseram que é para eu me recuperar primeiro. A questão é que ainda nem fiz os exames. Estou fazendo um tratamento de algo que nem sei o que é”, reclama o artilheiro do Atlético Tubarão, com quatro gols.

Após o tratamento com o departamento médico, Fábio corre pelo campo, mas assim mesmo tenta não forçar. “Vai que daqui a pouco o problema se agrava? Entretanto, queria estar ali jogando. Vejo o time nesta situação e isto me incomoda”, admite.