Marco Antonio Mendes
Tubarão

A menos de duas semanas para iniciar o maior espetáculo do futebol catarinense, os palcos das disputas recebem uma mobilização de fiscais para averiguar as condições oferecidas pelos estádios dos times da elite.

Na manhã de hoje, às 10 horas, o Anibal Costa, que receberá os confrontos do Atlético Tubarão nesta temporada do Campeonato Catarinense, passará por uma vistoria. Na comissão, membros de diversas entidades. Vem profissionais da Federação Catarinense de Futebol, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Santa Catarina (Crea-SC) e de unidades sanitárias. Tudo para proporcionar conforto e segurança ao público dos espetáculos.

“Nossa maior preocupação é com as pessoas que vão assistir às partidas. Buscamos verificar se a estrutura não causará algum incidente. Não pode haver riscos para quem estiver dentro dos estádios. Vamos verificar instalações elétricas, portões de entrada e saída, arquibancadas e vestiários”, explica o gerente de fiscalização do Crea, Cléber Justos.

Além do Anibal Costa, o estádio Heriberto Hülse, do Criciúma, também passará pela vistoria hoje. Ontem, a comissão passou pela Ressacada e pelo Orlando Scarpelli, do Avaí e do Figueirense, respectivamente. Nenhuma grande alteração foi constatada.
O estádio do Hercílio Luz passa por melhorias desde o ano passado, quando o time que disputa a Divisão Especial retornou ao futebol profissional. Várias reformas foram realizadas, um novo sistema de iluminação foi instalado e a cobertura foi aumentada.

“Temos um dos melhores estádios de Santa Catarina. Perdemos apenas para os do Figueirense, Criciúma e Avaí. A nossa estrutura é muito boa para grandes partidas”, salienta o diretor de futebol do Hercílio Luz, Cláudio Fernandes.

Contrato foi assinado entre hercilistas e Robertinho
O Anibal Costa não será locado, na realidade, para o Atlético Tubarão. O contrato foi negociado somente entre os dirigentes do Leão do Sul com o diretor de futebol do Atlético, Robertinho Rodrigues.

“Não estamos locando o estádio para o Atlético Tubarão. Quem vai nos pagar é Robertinho. Não temos nada com o clube”, explica um dos dirigentes do Hercílio, Cláudio Fernandes.

Para Robertinho Rodrigues, o principal motivo dos jogos serem realizados no campo dos hercilistas é o conforto que será proporcionado aos torcedores. “Não queremos ver pessoas com guardachuvas ou se molhando. Queremos que todos estejam no estádio para assistir um bom futebol em um momento de lazer”, destaca.

As cláusulas são claras: 48 horas antes da partida, o dinheiro deverá ser pago, não poderá haver qualquer menção, seja em faixa ou placa, do Atlético Tubarão (os hercilistas até pintaram mais escudos em diferentes pontos do estádio), qualquer dano terá que ser pago imediatamente e os dirigentes do Hercílio poderão não aceitar quaisquer outros confrontos a qualquer momento da competição.