Criciúma

O aproveitamento do técnico Leandro Machado, do Criciúma, em sua segunda passagem pelo clube, equivale a quase metade da primeira. Os números provam, portanto, a queda livre em que está o treinador no comando do Tigre. Em 2008, o Criciúma com Leandro no banco somou 66 pontos em 33 jogos. Agora, são 31 pontos em 27 partidas. Nos últimos 16 jogos, o Tigre ganhou apenas três. Empatou três e perdeu dez. Conquistou somente 25% dos pontos.

Mesmo com a matemática contra si, Leandro segue firme no comando do Criciúma. Ao menos é o que garante o diretor de futebol Waldeci Rampinelli. “Não é hora para mudanças. Temos ainda toda a sequência da temporada e jogos importantes”, avalia Waldeci.

O ano passado começou com um bom momento para o técnico. Venceu um amistoso, empatou outro e arrancou impecável no Catarinense, para conquistar o primeiro turno. Foi vice-campeão mesmo com melhor campanha geral que o Figueirense. No estadual, Leandro ganhou 15 jogos, empatou seis e perdeu apenas três. Na Copa do Brasil, eliminou Baraúnas e Icasa, e caiu na terceira fase diante do Vasco da Gama. O técnico deixou o Criciúma em maio, após a segunda rodada da Série B.

Leandro retornou ao Estádio Heriberto Hülse no fim da temporada passada. Montou o time de 2009 e, neste ano, viu o seu aproveitamento desabar. À exceção do primeiro turno do Campeonato Catarinense, em que foi campeão de novo, Leandro teve difícil arrancada na Copa do Brasil contra o Tupi e duas derrotas contra modestos adversários em amistosos. Neste ano, o treinador só ganhou nove vezes em 27 compromissos.