Marco Antonio Mendes
Tubarão

Se no meio do ano passado, o técnico Joceli dos Santos chegou a Tubarão para consertar o tempo perdido no Hercílio Luz, quando o time amargava maus resultados no Campeonato Catarinense da Divisão Especial, desta vez a situação é a mesma. Só que no Atlético Tubarão.

O diretor de futebol do clube, Robertinho Rodrigues, confirmou na tarde de ontem a vinda do treinador para comandar o time tubaronense, que só não está na lanterna do Estadual por causa dos critérios de desempate da competição.
Desde a saída de Marcelo Cabo, na quinta-feira passada, vários nomes para o cargo foram indicados, mas Joceli foi lembrado, principalmente, por ter sido um dos responsáveis por levar o clube à elite do futebol catarinense.

“Tubarão já é a minha segunda casa. Voltar para a equipe que ajudei a subir no acesso à Divisão Principal me dá orgulho porque demonstra que os dirigentes confiam no meu trabalho”, disse ele, em entrevista por telefone ao Notisul, no início da noite de ontem.

Mesmo sem conhecer o grupo, Joceli avisa que terá que fazer, no mínimo, cinco contratações. O único jogador que o comandante trabalhou foi com o atacante Fábio Bala. “Não posso dizer que terá dispensas agora e nem quem dispensarei. Amanhã (hoje) quero conhecer os atletas. Mas uma coisa é certa: não podemos mais errar. Nem nas contratações, nem nos jogos”, afirma.

Joceli dos Santos é natural de Florianópolis e teve passagem pelo Avaí, Brusque, Imbituba e Atlético de Ibirama. No Hercílio Luz, ano passado, o técnico ficou no comando somente por duas rodadas. No primeiro jogo, venceu o Próspera por 4 a 0. Na segunda partida, o Leão do Sul foi derrotado por 1 a 0. Na época, os dirigentes dispensaram Joceli por ser “caro para a realidade do clube”. Os trabalhos do velho conhecido técnico do torcedor tubaronense iniciam nesta manhã, no Estádio Domingos Gonzales.

Mato invade o campo do estádio

Nem parece campo de futebol. O mato no Estádio Domingos Gonzales chega a esconder alguns materiais de treinamentos do Atlético Tubarão. A situação está assim há algumas semanas. O ex-técnico Marcelo Cabo deixou o time com esta reclamação. Os jogadores continuam. “Vê o estado! É até complicado de trabalhar com essa grama assim”, reclama o lateral-esquerdo Bruno.

Segundo o secretário de serviços públicos, Fabiano Bitencourt, o problema deve ser resolvido ainda esta semana. “Temos uma equipe de dez pessoas que trabalham em manutenções, mas sete estão de férias. Com as chuvas no mês passado, há muito trabalho. Ainda mais com as aulas começando. Temos que priorizar algumas coisas. Mas, certamente, vamos encontrar uma solução para este problema”, garante o secretário, uma vez que a prefeitura é responsável pelo estádio.