Maycon Vianna
Tubarão

O retorno do Atlético Tubarão à cidade foi marcado por desânimo entre os atletas, diretoria e comissão técnica. A falta de planejamento foi apontado pelos integrantes do time como a principal causa do rebaixamento do clube. “Peguei o barco andando. É complicado você chegar no clube e ver vários jogadores que não têm a mínima noção de como se disputa um Campeonato Catarinense. É um jogo mais pegado, o gramado é mais alto. Isso tudo complica para quem não tem experiência”, relata o técnico Rafaelli Graniti.

Os jogadores também criticaram a falta de investimento da diretoria no futebol profissional, o que dificultou o desempenho dos atletas no decorrer da competição. “Já joguei em vários clubes, fui homem suficiente para assumir que estávamos mal, que o salário atrasava, mas mesmo assim sou um profissional e mostrei que empenho não faltou. Aliás, ninguém aqui fez corpo mole”, diz Rocha.
Os diretores do Atlético Tubarão devem reunir-se hoje e tomar alguma posição a respeito do elenco para o restante do ano. Sabe-se ao menos que a equipe de juniores treinará no Estádio Domingos Gonzales e que algumas dispensas devem ser concretizadas.

Os atletas que participaram da derrota para o Brusque na noite da última quarta-feira receberam folga ontem e não sabem se retornarão aos treinamentos. “Isso agora fica a cargo da diretoria. Tentei motivar os nossos meninos, são jogadores novos com futuro promissor, mas chegamos ao fim e o barco afundou. Não sobrou ninguém para contar história”, desabafa Graniti.