Priscila Loch
Tubarão

A fruta nunca cai longe do pé, diz o ditado. Foi o que aconteceu com os irmãos João Vitor, 12 anos, e Ana Carolina da Costa da Silva, 14. O pai, Antonio Hercílio da Silva, é professor de educação física, apaixonado pelo esporte. E os filhos seguem o mesmo caminho. Praticam de tudo, e são mesmo especialistas no karatê.

Os dois estudantes da Escola Prof. Arno Hübbe, de Tubarão, disputaram o Campeonato Brasileiro da modalidade no último fim de semana, em Aracaju (SE), e trouxeram na bagagem medalhas. Ana Carolina foi campeã na kata (luta imaginária) e vice no kumite. 14-15 anos. Já João Vitor, foi vice na kata e, de quebra, conquistou uma vaga no Sul-Americano, que será disputado na Colômbia de 1º a 5 de julho.

A competição no Sergipe foi bancada pela prefeitura de Tubarão, e Antonio agora corre atrás de patrocínios para a viagem do filho à Colômbia, que irá acompanhado do professor de karatê Fabrício de Souza. “Foi muito bom contar com o apoio da prefeitura no brasileiro. Tenho muito orgulho dos meus filhos. Não forço nada. A única coisa que falo é para se divertirem”, destaca Antonio.
Neste fim de semana, os irmãos vão até Joinville, onde disputarão o campeonato estadual – 2ª etapa do ranking.

O interesse pelo karatê
João Vitor fazia de tudo um pouco, experimentava praticar todos os esportes que tinha oportunidade. Com 6 anos, participou de uma aula experimental de karatê e optou por investir na modalidade. “Na segunda semana de treinos, já fui campeão de um campeonato na kata. Disputei quatro brasileiros e ganhei cinco medalhas”, relata o garoto, campeão do brasileiro em 2008 no individual e terceiro lugar em equipe.

O bom desempenho do irmão empolgou Ana Carolina. Há cerca de quatro anos, ela trocou as sapatilhas do balé pelo quimono. “Assisti uma aula, gostei e comecei a ganhar medalhas”, conta.