O coração batia forte no corpo que transbordava força de vontade. Neste sábado (11), a emoção tomou conta do jovem boxeador Rofferson Izidoro. Depois de meses de treino, era a primeira vez que ele subia no ringue para defender o sonho – e toda a Cidade Azul. “Eu cheguei até aqui, e é daqui que saiu vitorioso”, repetia na mente, incessantemente. Do córner, o técnico da equipe de boxe de Tubarão, Gabriel De Bona, deu o último toque. A campainha soou e a luta, no Cinturão de Ouro em Balneário Camboriú, iniciou.

Durante os rounds, o competidor soube controlar a distância. No misto de adrenalina, de consciência corporal e da respiração, Roff golpeou com precisão. Um confronto e tanto que o coroou como campeão. “Muito incrível a sensação”, descreve o vencedor. “Uma vitória por decisão unânime. Tô muito feliz”, comemora, orgulhoso, o treinador. Esse que teve um papel fundamental em toda a trajetória do boxeador.

Roff conta que Gabriel é um verdadeiro pai. “O tio Gabi me guia, me incentiva, acredita no meu potencial, dentro e fora do boxe. Ele é como um pai pra mim, por isso essa vitória não é só minha. É dele e todos aqueles que eu amo”, revela. E a admiração é recíproca. O técnico de Tubarão conta que, nos bastidores do que há além do pódio, existe muito comprometimento do garoto com os estudos.

Com 13 anos de idade, Roff entende que a disciplina e a constância é o que vai levá-lo a realizar sonhos. “O Roff chega cedinho na academia, e já adianta as tarefas da escola. Faça chuva. Faça sol. Faz frio. Não importa os desafios, ele vem treinar. O caminho tem tudo para ser promissor, mas é preciso paciência e muita persistência”, completa Gabriel, que está à frente da equipe de boxe de Tubarão, representada pelo Clube De Bona Boxing.

Ouro em dose tripla

Não foi só o Roff que venceu neste sábado (11). A Cidade Azul estava sendo representada por mais três boxeadores. O experiente Luís Araújo defendeu o Cinturão de Ouro e venceu por decisão unânime. Mas o holofote da vez é para Guilherme Rodolfo que fez a última luta do torneio. Ao aplicar a tática combinada com exatidão, o controle da distância fez o adversário errar. Gui usou a oportunidade de abertura para fazer o que todo boxeador busca: o nocaute. Vitória no primeiro round. Vitória para Tubarão!

Aprendizado

A caminhada dentro e fora dos ringues é de muita luta para Vinicius Silva. Neste fim de semana não foi diferente. Após uma luta dura contra o atual campeão catarinense da modalidade, Vini mostrou a força de um sonhador. Caiu. Levantou. Continuou. Nada o parou. Mas a motivação não foi suficiente para trazer a medalha dourada. O atleta que se recuperou de uma lesão para encarar o cinturão, sente-se feliz com o resultado, recheado de aprendizado.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Créditos: Esporte com K/ Clube De Boxing