Marco Antonio Mendes
Tubarão

Os trabalhos do Atlético Tubarão visando o Campeonato Catarinense iniciam em 2 de janeiro. Neste dia, a direção de futebol do clube pretende que todos os entraves de hoje já estejam resolvidos.
O problema principal é a questão financeira. Por ainda não ter um patrocinador, o time faz as contas de quanto pode gastar. Segundo o diretor de futebol Robertinho Rodrigues, o orçamento para os três meses de competição está em torno de R$ 700 mil. “Claro que nossos custos podem diminuir. Isso tudo vai depender de quanto teremos para investir”, avisou Robertinho, na tarde de ontem, em entrevista coletiva.

Sem o dinheiro na mão, não há definição de comissão técnica. Marcelo Cabo, que treinou o Atlético Tubarão na Copa Santa Catarina e veio do Clube de Futebol Zico (CFZ), e Arnaldo Lira, que comandou o time no Estadual deste ano, são os mais cotados. Para trazer Lira, os custou seriam maiores e ainda há a possibilidade do treinador não se satisfazer com os jogadores disponíveis.

“Quando o técnico chegar, vai ver um catálogo de atletas que estão à nossa disposição, através da parceria com o CFZ. Nossa intenção é montar um time com jogadores novos e alguns experientes. Mas só teremos estes jogadores mais experientes se tivermos patrocínio”, explicou Fábio Araújo, o carioca do CFZ que veio ajudar o clube tubaronense.

Até o próximo dia 22, o nome do treinador deve ser anunciado. Enquanto isso, os jovens atletas que treinam no estádio Domingos Gonzales recebem férias no dia 19 de dezembro e apresentam-se no segundo dia de 2009.
A estréia do Atlético Tubarão no Catarinense da Divisão Especial está prevista para 19 de janeiro, um segunda-feira, em Florianópolis, contra o Figueirense.

Atlético Tubarão na casa do Hercílio Luz

As conversas entre o diretor de futebol do Atlético Tubarão, Robertinho Rodrigues, e os dirigentes do Hercílio Luz estão avançadas. Está quase certo que o time da Divisão Principal mandará os confrontos na casa do time da Divisão Especial.
“O estádio Anibal Costa tem melhor estrutura para receber os jogos da primeira divisão.

Não aguentaria ver os torcedores debaixo de chuva com guarda-chuvas abertos. Enquanto não temos cobertura, esta é a nossa solução”, acredita Robertinho.
Para concretizar “a união” entre os dois clubes, apenas faltam alguns detalhes relacionados às placas de patrocinadores dos times.
O Atlético Tubarão ainda teria que se responsabilizar por danos causados no Anibal Costa, causo houver.