Marco Antonio Mendes
Tubarão

As duas consecutivas derrotas do Atlético Tubarão na Copa Santa Catarina têm apenas uma justificativa para o diretor de futebol do clube, Robertinho Rodrigues: falta de planejamento.

O desempenho do time na competição até já era esperado, uma vez que a preparação iniciou menos de uma semana antes da estréia. “Quando não temos tempo para planejar algo, isto está mais propício a não dar certo”, avalia. Robertinho, porém, ressalta a qualidade do grupo, o que já foi possível perceber no segundo tempo do jogo contra o Joinville, quarta-feira à noite. O dirigente tem a certeza que, com um pouco mais de tempo, será possível perceber mudanças significativas.

“O Atlético Tubarão terá capacidade de competir com qualquer outra equipe catarinense”, almeja.
“Estamos ensaiando para o Estadual. É como se estivéssemos nos preparando ao nosso foco principal”, diz o dirigente, que também afirma não estar arrependido de colocar o time em campo após o convite “forçado” da Federação Catarinense de Futebol.

A parceria com o Clube de Futebol Zico (CFZ), que veio para, de certa forma, salvar o time, ainda segue sem confirmação se continua após o mini-campeonato ou se termina antes, porque, para Robertinho, é impossível apenas duas pessoas fazerem o time, no caso ele e o presidente Pedro Almeida.
“Até agora, ninguém veio nos apoiar. Temos que correr atrás de tudo. Precisamos de empresários que nos ajudem e que invistam em nosso futebol. Se não for assim, ficaremos neste amadorismo para sempre”, reclama.