Marco Antonio Mendes
Tubarão

O Atlético Tubarão continuará na elite do futebol catarinense. A decisão definitiva é do Tribunal de Justiça Desportiva. O Guarani pedia a abertura de inquérito para investigar irregularidades na escalação do jogador Bruno Andrade, no início do Estadual, em janeiro.

No fim da tarde de ontem, o processo, que seria julgado hoje, foi arquivado, conforme informou o advogado do Peixe, Rodrigo Bayer. “A decisão já foi tomada e o clube não tem mais risco de ser rebaixado. O Atlético Tubarão possuía provas consistentes para se defender”, explica.

O procurador jurídico da Federação Catarinense de Futebol, Rodrigo Capella, confirma: a medida cautelar impetrada pelo Guarani foi suspensa. O clube havia pedido adiamento de suas partidas da Divisão Especial (já que foi rebaixado), enquanto o processo não era concluído. Entretanto, terá que voltar a jogar domingo.

“Caso não entrem em campo, será considerado abandono de campeonato, o que acarretará punição ao clube”, alerta Rodrigo. O clube possui apenas sete jogadores profissionais registrados.
Se a decisão fosse favorável ao Guarani, os tubaronenses seriam rebaixados e os palhocenses voltariam à elite.

O vice-presidente do Atlético Tubarão, Lecir Ghifi, comemora a decisão. “Sabíamos que não havia problema algum com o time. Mas agora estamos mais aliviados ao saber que o clube continuará na Divisão Principal”.
O presidente do Guarani, Marcos Medeiros, não foi encontrado na tarde de ontem para falar sobre o assunto.