A delegação tubaronense embarcou para São Paulo às 21 horas de ontem. No detalhe, Patrick Luiz Mateus, o mais jovem da turma, 21 anos, e esperança de medalha para Tubarão
A delegação tubaronense embarcou para São Paulo às 21 horas de ontem. No detalhe, Patrick Luiz Mateus, o mais jovem da turma, 21 anos, e esperança de medalha para Tubarão

Rafael Andrade
Tubarão

Hoje, os 15 tubaronenses e um criciumense que embarcaram ontem à noite para São Paulo, para disputar a tradicional corrida de São Silvestre, fazem um treino leve. Amanhã, o grupo junta-se a mais 25 mil pessoas de várias nacionalidades na maior corrida de rua da América Latina.
A avenida Paulista se transformará em um ‘rio’ de atletas. Os quenianos são os maiores vencedores da prova e favoritos para o título deste ano. Mas vêm muitos brasileiros embalados, como o tubaronense Patrick Luiz Mateus, 21 anos. “Treinei o ano todo para a São Silvestre. É a minha primeira prova e quero terminar a corrida em menos de uma hora”, prevê Patrick.
 

O experiente atleta Clemente de Souza, de 70, não competirá nesta edição, mas fez questão de viajar com a delegação. “Vim dar um apoio moral a cada atleta. Trouxe a minha gaita de boca para a viagem. Todo o incentivo é bem-vindo na véspera de uma prova de tal magnitude”, destaca Clemente. Ele teve problemas musculares e pretende estar com a saúde em dia em 2011 para representar mais uma vez Tubarão e região.
 

sta é a 86ª Corrida Internacional de São Silvestre. O aposentado Atílio Calegari, 70 anos, é o mais experiente dos atletas tubaronenses. Há alguns anos, ele sofreu um acidente e chegou a andar de cadeira de rodas. Com muita força de vontade, conseguiu recuperar-se, voltou a correr e disputará a São Silvestre pela terceira vez.
Na equipe, estão também duas mulheres. Marinete da Silva Bittencourt, 46, disputará a prova pela primeira vez. A largada da ala feminina está prevista para as 16 horas de amanhã e às 16h47min o pelotão masculina.