Jeff foi apresentado no Leão do Sul no dia 2 de junho   -  Foto:Divulgação/Notisul
Jeff foi apresentado no Leão do Sul no dia 2 de junho - Foto:Divulgação/Notisul

Tubarão

O futebol, o vôlei, a natação, o basquete e todas as modalidades esportivas são uma verdadeira festa, não somente para aqueles que estão em atuação, mas também para os torcedores. Porém, neste espetáculo, quase sempre há um, dois ou um grupo maior que extrapola o limite do bem senso e comete algum deslize. 

No último domingo, no clássico entre Atlético Tubarão e Hercílio Luz, no Estádio Domingos Silveira Gonzales, o duelo ocorria dentro da normalidade, disputa saudável dentro do campo, público bem intencionado, entretanto, a grande surpresa, um torcedor discutiu com o atleta da equipe colorada Jefferson Silva, o Jeff, e agiu de forma preconceituosa contra o jogador.

“Estou muito chateado pelo que aconteceu. Estava no jogo e a torcida do clube adversário me xingando, até aí tudo bem, faz parte, por diversas vezes sofri preconceito, principalmente no leste europeu e fiquei calado. Mas no meu país, uma pessoa, se é que dá para tratar dessa forma, me chamou de macaco e repetiu o insulto. Sem acreditar perguntei para ele: ‘eu sou macaco?’ e discuti. O segurança do clube adversário o tirou do local. Um jogador do meu time foi até o policial que estava presente no momento e falou do ocorrido, a resposta dele foi: ‘isso é normal do jogo’”, lamenta Jeff.

Na terça-feira, o atleta do Leão do Sul registrou um boletim de ocorrência denunciando o fato. “Em pleno século 21 é normal uma pessoa ser chamada de macaco? O que vejo são pessoas maldosas no meio de torcedores apaixonados. Esses, infelizmente, sujam a imagem da torcida e, mais que isso, ofendem pessoas que trabalham e correm atrás dos seus objetivos. Só peço a essas pessoas de bem, as quais presenciaram o ocorrido, que denunciem esse indivíduo. Injúria racial é crime e isso não pode ficar impune”, afirma o jogador.

Fifa decide finalizar força-tarefa
Na última segunda-feira, a Federação Internacional de Futebol (Fifa) encerrou a sua força-tarefa contra o racismo. Os representantes da entidade declararam que a sua missão temporária foi cumprida. Apesar das preocupações com relação a comportamentos discriminatórios na Rússia, sede da próxima Copa, foi enviado mensagem aos membros da força-tarefa informando a dissolução.