Amanda coleciona as matérias veiculadas sobre o jogador
Amanda coleciona as matérias veiculadas sobre o jogador

Tubarão

O esporte tem o poder de mexer com a emoção e com os sentimentos das pessoas, e consegue trazer em vários momentos uma satisfação imensa, por tudo aquilo que se batalhou, conquistou e almejou. São determinadas ocasiões que fazem um atleta ter a certeza de que está no caminho certo.

 
Foi mais ou menos esse sentimento que o fixo Ariel teve ao conhecer a história de sua fã Amanda. Uma tubaronense de apenas 8 anos que, desde de 2007, quando o fixo veio atuar pela Unisul Futsal, acompanha a sua carreira. 
 
Desde muito pequena, Amanda ia com o pai aos jogos de futsal, e Ariel foi o jogador com quem a menina mais se identificou desde então. A garota coleciona fotos e recortes das matérias veiculadas em jornais da região onde o atleta aparece.
 
Ainda em Tubarão, onde passa as férias, o atleta foi até a casa de Amanda visitá-la e a presenteou com a camisa do Shenzhen Nanling, time com o qual conquistou o título da Liga Chinesa. O brasileiro não escondeu a emoção e satisfação em visitar sua fã.
 
“Sou muito feliz por saber do carinho que ela tem por mim e pelo meu trabalho. Nós, atletas, devemos ser espelho para as crianças e dar bons exemplos para que elas possam seguir”, afirmou Ariel.
 
Picolé renova e voltará ao Qatar em setembro
Após nove meses longe da terra natal, Murilo Zabot e Silva, o Picolé, chegou em Tubarão neste mês, mas já tem data marcada para retornar ao Qatar. O jogador embarca no dia 2 de setembro para o país árabe, para mais uma temporada no Al Khor.
A trajetória do tubaronense no futsal árabe não poderia ser melhor. Em duas temporadas, o Al Khor conquistou quatro títulos, e ficou em segundo lugar na principal competição do país. “Colocamos a equipe entre os favoritos. Sou privilegiado por contribuir na conquista dos primeiros títulos e fazer história no clube”, enaltece.
Já adaptado à cultura árabe, o atleta destaca o desenvolvimento do país e os preparativos para receber a Copa do Mundo em 2022. “Eles estão construindo o país, literalmente. Há seis anos, não havia nada e hoje há construções modernas, centros esportivos, planejamento para criar uma cidade do esporte e os projetos dos estádios de futebol enchem os olhos. A meta é entregar as obras até 2018”, revela.
Picolé conta que a principal modalidade do país é o futebol, seguido pelo handebol. “O futsal está em crescimento e fico feliz em fazer parte desse desenvolvimento, de ser um dos brasileiros escolhido para trabalhar a cultura árabe nessa área. Aos poucos, mostramos o quanto os treinamentos são importantes para o rendimento do grupo”, ressalta o atleta, que é colega de outros dois brasileiros no Al Khor: o blumenauense Sérgio Loch e o curitibano Flávio do Amaral.
 
Picolé é um dos destaques do futsal do Qatar