Antenor Angeloni será o presidente do Tigre até 2021.
Antenor Angeloni será o presidente do Tigre até 2021.

Criciúma

Antenor Angeloni, presidente do Criciúma, permanecerá à frente do clube catarinense por mais dez anos. Foi o que decidiram os conselheiros em eleição que também aprovou uma possível mudança do Estatuto do Tigre.
Em assembleia geral do Conselho Deliberativo, foram 171 votos a favor da diretoria encabeçada por Angeloni e três votos em branco.

A nova diretoria do Criciúma será formada, além do presidente Antenor Angeloni, pelo vices Carlos Henrique Alamini (administrativo), Ailton Schuelter (financeiro) e Antonio Deoclésio Pavei (de patrimônio).
Ficou decidido também que o clube poderá firmar uma parceria com a Gestão de Ativos (GA), empresa do grupo Angeloni, que comandará as ações para manutenção de patrimônio e gestão técnico-financeira do Departamento de Futebol do Criciúma na próxima década.

Antenor Angeloni é empresário e está no comando do Tigre desde o primeiro semestre do ano passado, quando o time estava endividado e recuperando-se da má campanha na terceira divisão do Campeonato Brasileiro do ano anterior. Nestes quase dois anos, Angeloni começou a ajeitar as contas do clube e viu o time voltar à Série B e chegar à final do Campeonato Catarinense de 2011.
“Não temos mais onde buscar receita. A formação de jogadores e a ampliação do número de sócios é o que nos resta para buscar mais recursos”, declarou o presidente reeleito, que também demonstrou a vontade de “fazer um bem” pela cidade de Criciúma.

Criciúma tenta renovar com o goleiro Andrey

Enquanto monta o seu elenco para 2012, o Criciúma negocia a renovação do goleiro Andrey. Porém, uma das exigências do jogador não foi aceita pela diretoria do clube.
“Ele assinou um compromisso de um ano com o Criciúma, mas está na dependência de alguns detalhes”, informou o supervisor Giuliano Bitencourt ao site engeplus.
O impasse com a diretoria é que Andrey quer uma cláusula que o libere automaticamente caso ele seja procurado por algum clube do exterior, fato não aceito pelos dirigentes. Mesmo assim, o Criciúma está confiante em um acerto.