Vanderlei marcou três dos oitos gols do Peixe ontem
Vanderlei marcou três dos oitos gols do Peixe ontem

 

Priscila Loch
Tubarão
 
A torcida chegou a pensar que o já rebaixado Joaçaba não apareceria e o Atlético Tubarão venceria por WO. Também pudera! A 30 minutos do início da partida de ontem à tarde, nenhum sinal do time adversário. Foi aí que os jogadores começaram a aparecer no Estádio Domingos Gonzalez, um a um. E nada de ônibus. Eles viajaram em cinco carros, com o objetivo de cortar despesas, e ainda tiveram que engolir um placar elástico de 8 a 1 em favor do Peixe.
 
No começo do jogo, o time adversário até assustou. O Peixe abriu o placar com André Ricardo, de cabeça, aos 4 minutos do primeiro tempo. Mas o Joaçaba empatou dois minutos depois, de pênalti (cobrado duas vezes), com Berguer. Nesse momento, teve quem se assustou, achando que os visitantes poderiam virar.
 
Para a felicidade da torcida tubaronense, não passou de um susto. A partir daí, só deu Peixe. Foi um chuva de gols. Três deles marcados pelo atacante Vanderlei. 
 
O segundo gol do Atlético Tubarão veio da cabeça de Xavier, aos 32. Um minuto depois, Vanderlei ampliou, da entrada da área. Santos chutou firme de fora da área e fechou o placar do primeiro tempo, 4 a 1.
 
A segunda etapa mal iniciou e o Peixe já marcava o seu quinto gol, com Mazinho, de cabeça, aos quatro minutos. Aos 26 e 28, Vanderlei fez dois de pênalti. E, para fechar a goleada, mais uma vez Santos, de fora da área. Foi o maior placar da Divisão Especial 2011.
 
“Nada de oba-oba”,  avisa o técnico Lessa
A goleada sobre o Joaçaba não foi suficiente para levar o Peixe de volta ao G4 da Divisão Especial. Mesmo assim, o time de Tubarão continua com chances de se classificar às semifinais do returno. Para isso, precisa vencer o próximo oponente, Porto, sábado, fora de casa.
Artilheiro da equipe, Vanderlei analisa o resultado de ontem. “O time fez por merecer”. O técnico Fernando Lessa concorda que o grupo merecia a vitória, mas alerta que a goleada não pode ser parâmetro para o próximo jogo. “Esse jogo tem que ficar para trás. Nada de oba-oba. Temos que trabalhar para conseguir o resultado. Vamos buscar com unhas e dentes a vaga na elite”, declara o treinador.
 
 
Hercílio perde em jogo de expulsões
O Hercílio Luz entrou em campo otimista ontem de manhã. Afinal, uma vitória era o passaporte para a semifinal do returno da Divisão Especial do Campeonato Catarinense. Era! A derrota por 1 a 0 para o Camboriú, no Estádio Roberto Santos Garcia, não só impossibilitou a classificação antecipada, como também fez o Leão do Sul despencar duas posições na tabela.
 
O gol da partida foi marcado por Paulo Ricardo, com chute de fora da área, aos 17 minutos do primeiro tempo. O Camboriú estava a três jogos sem vencer. Já o Hercílio vinha de uma série de cinco vitórias e um empate – perdeu apenas na primeira rodada da segunda fase da competição.
 
A derrota não foi o único resultado negativo para o Leão. Isso porque o time terminou o jogo com dois jogadores a menos em campo, além do técnico. Giba, Elton e Joceli dos Santos foram expulsos.
 
A equipe de Tubarão fez muitas faltas e recebeu muitos cartões amarelos. A expulsão do treinador foi aos 21 minutos do primeiro tempo, após reclamação do cartão amarelo dado a Elton. O segundo a sair foi Giba, aos 26 da segunda etapa, que reclamou muito da marcação de uma falta em favor do adversário. E Elton deixou o campo três minutos depois, por conta de uma cotovelada em Léo Silva.
 
A partida ainda teve um bate-boca na arquibancada, no primeiro tempo, entre torcedores do Camboriú e Delfim de Pádua Peixoto Neto, o Delfinzinho, que estava como observador da Federação Catarinense de Futebol (FCF).
 
‘Carrasco’ do turno é o próximo adversário do Leão
O próximo compromisso do Hercílio Luz promete ‘pegar fogo’. O adversário foi o algoz da final do turno da Divisão Especial, o Atlético de Ibirama, que venceu o time de Tubarão por 3 a 1 e garantiu vaga na elite do futebol catarinense em 2012. Um mês depois, chega a hora do Leão provar que a derrota ficou no passado e que tem condições de lutar pela outra vaga que resta para a Divisão Principal do Catarinense.
Na oportunidade, em 9 de outubro, em Ibirama, houve muitas polêmicas quanto à arbitragem e uma briga generalizada ao fim da partida, no Estádio Hermann Aichinger. Na época, Joceli dos Santos pediu à torcida que receba bem o time adversário na última rodada do returno. Resta saber se os torcedores ouviram o apelo do técnico. E que a paz reine no Anibal Costa!