Foto: Clube Atlético Tubarão/Divulgação
Foto: Clube Atlético Tubarão/Divulgação

Curitiba (PR)

O primeiro jogo do Peixe fora de Santa Catarina foi marcante para torcida e jogadores. Apesar da derrota, os quatro gols assinalados em Curitiba posicionam o clube no cenário nacional. A virada dos paranaenses veio aos 47 minutos do segundo tempo com Felipe Gedoz. “A gente tinha uma estratégia de jogo que poderia ganhar. Ficamos perto de conseguir uma classificação inédita para o clube”, lamenta o zagueiro Peterson.

Mesmo com a forte pressão inicial, o Furacão só marcou no segundo tempo, depois de onze finalizações. Bergson abriu o placar na Baixada. Em seguida, na sua primeira finalização em gol o Peixe empatou com Matheus Borba, em um cabeceio preciso. Aos 16 veio a virada do Tubarão com Batista, que aproveitou cruzamento de Marcos Vinícius e fez 2 x 1. 

Depois de ter feito o primeiro dos paranaenses, Bergson, que entrou no intervalo, solta a bomba de fora da área, o goleiro da rebote, e Matheus Rossetto aparece livre para bater firme e deixar tudo igual. Aos 29 minutos, o atacante do Furacão, Guilherme, tentou o voleio e foi derrubado por Guilherme Amorim.Abusando da paradinha, o próprio Guilherme bateu e virou o jogo.

Mas o primeiro clube start-up do Brasil não se intimidou diante da torcida rubro-negra em seu estádio de Copa do Mundo. O técnico Waguinho Dias colocou no jogo o zagueiro Lucas Costa que no seu primeiro lance subiu mais que todo mundo e testou para as redes depois do escanteio.  Aos 39 o Peixe faz mais um, com Daniel Costa, que recebeu a assistência de Romarinho, que também tinha acabado de entrar, e o placar fica 4 x 3. 

O Atlético Paranaense também tem zagueiros bons de cabeceio. Thiago Heleno empata para o Furacão aos 45 do segundo tempo. Quando todos já pensavam na decisão por pênaltis, a bola sobra fora da área e Felipe Gedoz fuzila, a bola bate no travessão e frustra o sonho do Peixe.