Gianni Infantino, presidente da Fifa, e Vladimir Putin, presidente russo, em encontro durante o sorteio dos grupos em dezembro.
Gianni Infantino, presidente da Fifa, e Vladimir Putin, presidente russo, em encontro durante o sorteio dos grupos em dezembro.

Moscou, Rússia 

Mais de oito milhões de ingressos para a Copa do Mundo Da Rússia já foram pedidos. No sábado, o conselho da Associação Internacional de Futebol (IFAB) aprovou por unanimidade o uso de árbitros assistentes de vídeo (VARs), na sede da FIFA, em Zurique. Há exatos cem dias da Copa, a confirmação dessa nova tecnologia marcará o início de uma nova era no futebol.

A FIFA pretende aumentar a integridade e a justiça no jogo. Antes de tomar sua decisão, os membros envolvidos foram apresentados aos resultados da análise independente do uso de VARs realizada pela universidade belga KU Leuven desde 2016.

O jogo inicial da Copa do Mundo será Rússia contra a Arábia Saudita. Tudo dará certo na noite do evento, certamente no que diz respeito ao acontecimento e ao espetáculo televisionado dos jogos. Os ambientes serão sofisticados, as coreografias serão cuidadosas, o futebol terá seus altos e baixos. Até aqui, tudo normal.

A tecnologia gerou críticas tanto de torcedores quanto da mídia na Inglaterra, devido aos atrasos causados durante jogos da Copa da Inglaterra em fevereiro. Pausas prolongadas, combinadas com uma falta de comunicação transparente aos torcedores sobre a natureza das decisões tomadas, foram as maiores queixas. Também houve a sensação de que alguns árbitros usaram a tecnologia com mais frequência do que simplesmente para resolver erros claros e óbvios, que é o principal objetivo do VAR.

O VAR também foi testado em outros lugares. A Bundesliga e a Serie A são dois exemplos, com uma oscilação de momentos bons e ruins. Sua implementação na Copa das Confederações de 2017 também trouxe resultados variados. De modo compreensível, existe uma preocupação evidente sobre seu uso na Rússia.

Existe ainda a questão mais prática e preocupante da participação dos torcedores. A FIFA anunciou com bastante entusiasmo os números favoráveis da procura por ingressos, com pedidos totalizando 8,4 milhões no mundo inteiro até o final de janeiro.

A briga entre os torcedores do Spartak Moscow e do Athletic Bilbao, na cidade espanhola, antes da partida em 22 de fevereiro era a última coisa que os organizadores da Copa do Mundo precisavam. Um policial morreu tragicamente de ataque cardíaco após um sinalizador ser jogado em sua direção durante o conflito.

Não há indícios de que os fãs russos foram responsáveis pela morte do policial, mas o acontecimento foi um retorno indesejado às manchetes geradas pela Rússia na Eurocopa 2016 na França. A Rússia tem reprimido consideravelmente o vandalismo dentro do próprio país e a expectativa da situação de risco em torno dos estádios parece.

A seleção brasileira caiu no Grupo E e faz sua estreia no dia 17 de junho em Rostov contra a Suíça. Depois pega a Costa Rica no dia 22 de junho, em São Petersburgo, e fecha a primeira fase contra a Sérvia em Moscou, dia 27 de junho.