Cíntia Abreu
Tubarão

O prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) deve anunciar hoje se o decreto de suspensão das atividades no município será revogado. Tubarão é a única das 87 cidades com as aulas suspensas na rede estadual que não retornou ontem.
Será decidido ainda hoje se as atividades escolares retornam ainda esta semana. Na opinião do secretário de saúde da prefeitura, Roger Augusto Vieira e Silva, o dia correto é segunda-feira. “Até o início da semana que vem, os dados podem ser mais positivos, por isso, acredito que segunda-feira é a hora certa”, salienta Roger.

O secretário ressalta que, se as escolas voltarem a trabalhar, todos estarão correndo um risco. “Não há um dado que comprove a hora certa. Por isso, todo o cuidado é pouco. Tenho certeza que, a partir do momento que divulgamos a baixa de casos suspeitos, os cidadãos seguem menos as regras de prevenção”, lamenta o Roger.
O secretário de educação da prefeitura, José Santos Nunes, garante que até segunda-feira os alunos da rede municipal e estadual voltarão às salas de aula. “Para que tudo ocorra bem, passamos todas as orientações de prevenção necessárias aos profissionais da educação”, sublinha José Santos.

A gripe não influenciou o calendário escolar

A nova gripe ainda não prejudicou o andamento dos calendários estadual e municipal em Tubarão. No total, 19 mil alunos estão ausentes da sala de aula desde o último dia 10. O secretário de educação da prefeitura, José Santos Nunes, explica que, em função da 9ª edição da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), que ocorreria entre os dias 15 e 22 deste mês e, foi adiada em função do aumento dos casos da gripe A na região, o calendário letivo não sofreu grande alteração.

“As férias da rede municipal seriam no mesmo período da Olesc, então, por enquanto, estamos dentro do prazo do recesso que tínhamos direito”, argumenta o secretário. Na mesma linha de pensamento, a gerente de educação estadual, Cristina Meneghel, conta que os 13 mil alunos estaduais também não serão prejudicados.
“O governo pede a volta. Porém, sabemos que aqui está o principal foco da doença. Por outro lado, enquanto a rede municipal não voltar à normalidade, nós teremos dificuldades. O meio de transporte, por exemplo, é utilizado para as duas redes”, completa a gerente regional de educação de Tubarão.