O vendedor Felipe Ribeiro Souza afirma que a maior procura é por produtos da linha branca.
O vendedor Felipe Ribeiro Souza afirma que a maior procura é por produtos da linha branca.

Angelica Brunatto
Tubarão

Os lojistas estão contentes! As vendas estão cada vez mais aquecidas, e melhores, se comparadas ao mesmo período do ano passado. Nos últimos 12 meses, no Brasil, o varejo teve um aumento de 6,6%.
Esse incremento no comércio também foi sentido em Tubarão. “Em fevereiro e março, a expectativa foi superada. Esperamos que este mês cresça 8%”, afirma o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Tubarão, Felipe Antunes Nascimento.

Na loja Benoit da Cidade Azul, as vendas nos três primeiros meses do ano foram superiores ao mesmo período em 2011. Os clientes procuram mais a linha branca. ”Com a redução do imposto sobre produto industrializado (IPI), a procura aumentou ainda mais. Este mês, já alcançamos 90% de vendas”, comemora o vendedor Felipe Ribeiro Souza. Em fevereiro, este número foi de 120%.
Além da linha branca, outro setor bastante procurado é o de jogos de sala. Em todo o Brasil, os móveis e elétrodomésticos tiveram alta de 11,9%, na comparação de janeiro deste ano ao mesmo mês de 2011. Os setores de vestuário, calçados, informática e comunicação seguiram o mesmo caminho.

Segundo o vendedor Felipe, as liquidações de janeiro contribuíram para o incremento das vendas. “Sempre trabalhamos com esta ação, que chama bastante clientes”, revela.
Conforme o presidente da CDL, é comum a queda das vendas neste período. “Em janeiro, o comércio não é aquecido, porque as pessoas saem das cidades e vão para as praias”, justifica Felipe.

Geração de empregos faz consumo crescer
Emprego, renda e queda na inflação foram os fatores que incentivaram o consumo em Santa Catarina. No estado, em março, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) permaneceu em 149,2 pontos em março. O indicador teve crescimento de 14% em relação ao mesmo mês do ano passado. Com este aumento, deve-se garantir um incremento no setor comercial, que deve registrar crescimento superior ao restante da economia.