O protesto, mais uma vez, foi pacífico e sem o registro de qualquer ocorrência. A Polícia Militar (PM) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizaram a segurança nas ruas de Tubarão e na BR-101. Os manifestantes organizam um novo ato, nesta quinta-feira.
O protesto, mais uma vez, foi pacífico e sem o registro de qualquer ocorrência. A Polícia Militar (PM) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizaram a segurança nas ruas de Tubarão e na BR-101. Os manifestantes organizam um novo ato, nesta quinta-feira.

Eduardo Zabot
Tubarão

De longe a massa canta o hino nacional brasileiro. Com apitos, cartazes, faixas e música, a multidão indignada ‘saiu da internet’, pintou a cara e tomou as ruas pacificamente. Cada um reivindica o que acredita ser prioritário. Uns não querem a aprovação do projeto do Ato Médico, outros saem em defesa do Ministério Público e dizem não para a perigosa PEC 37.

Professores defendem a educação, pais gritam por mais segurança, filhos querem áreas de lazer – mas sem Copa -, senhoras e senhores, que já fizeram coro há 30 anos, voltam para a luta, agora pelo futuro.

Deles e dos jovens de hoje, que um dia também serão os senhores e senhoras. E juntos, todos querem o exilamento, preferencialmente para outra galáxia, do pastor Marco Feliciano.

Ontem, em mais um dia de protestos no Brasil, a população de Tubarão também voltou para as ruas. Mais de duas mil pessoas, conforme dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), marcharam até a BR-101 e fecharam a rodovia por aproximadamente uma hora e meia.

A escolha da BR-101 não foi por acaso. Esta foi a maneira encontrada de chamar a atenção para a urgência em finalizar a duplicação da estrada, que já ceifou a vida de irmãos, pais, mães, avós, filhos.

Para a empresária Márcia Sabino, de Criciúma, a reivindicação é válida, mesmo com o enorme congestionamento. “É muito bonito ver tanta gente aqui. O povo tem mesmo que se unir e mostrar que tem força”, aplaude.

Já o caminhoneiro Flávio Hierinch não gostou de ficar mais de uma hora parado. “Passo diariamente por aqui e sei o quanto a rodovia é perigosa, mas isso não dá o direito dessas pessoas atrapalharem o meu trabalho”, desabafa.

Agende-se
As manifestações em Tubarão prosseguem nesta semana. Conforme os organizadores, um protesto será realizado nesta quinta-feira, a partir das 19 horas, em frente da câmara de vereadores. Desta vez, o objetivo é chamar a atenção para as prioridades da cidade e as reivindicações da população.

População de Braço do Norte, Imbituba e Garopaba também vai para as ruas

Maria Julia Goulart
Braço do Norte

Após duas semanas de protestos por todo o Brasil, a semana começa com mais manifestações pela região sul de Santa Catarina. Hoje, há ato público em Braço do Norte. O evento, organizado por meio da rede social Facebook, já conta com aproximadamente 600 pessoas confirmadas.

A população não fará passeata, mas promete fazer barulho na Praça Padre Roher, no centro da cidade, a partir das 19 horas. A luta é a mesma: a reivindicação de melhorias em diversos setores considerados deficitários.

Já em Garopaba, a manifestação está marcada para amanhã. O evento, também organizado pela internet, deve reunir mais de 800 pessoas para reivindicar melhorias na cidade. O ponto de encontro é a câmara de vereadores, no centro do município, a partir das 17h30min.  

Entre as reivindicações da população está a melhora no transporte público. A principal reclamação é que a frota de ônibus da cidade é antiga e não existe disponibilidade de horários na baixa temporada.

Também integra a pauta mais investimentos nos setores da saúde e da educação. Um documento com tudo que a população considera prioritário será entregue ao prefeito Luiz Carlos Luiz.

Em Imbituba, a intenção é dar continuidades aos protestos iniciados na semana passada. Nas últimas quarta e quinta-feiras, mais de 600 pessoas, entre jovens, crianças e idosos.

Entre as principais reivindicações estão melhorias no transporte público municipal, na saúde e na educação. Hoje, uma nova manifestação está agendada para às 17h30min. O ponto de encontro é a Praça Henrique Lage, no centro da cidade.


Em Imbituba, as manifestações públicas iniciaram na semana passada e prosseguem
nesta, com um ato programado para hoje, na Praça Henrique Lage, no centro da cidade.
Foto: Leonardo Fraga/Divulgação/Notisul
.