Amanda Menger
Capivari de Baixo

O uso da máquina pública com fins eleitorais é o assunto do momento em Capivari de Baixo. Há algumas semanas, os vereadores solicitaram informações sobre a utilização de um veículo por uma funcionária da secretaria da educação para distribuir convites para a convenção do PP na cidade. Ontem, o Ministério Público acolheu a denúncia feita pela coligação ‘Capivari Melhor’, composta pelo PMDB, PPS, PTC e PRP.

No dia 27 de junho, uma funcionária da secretaria de educação teria utilizado a Kombi a serviço do mesmo órgão para entregar convites para a convenção do PP, destinado a alguns funcionários da câmara de vereadores. “Eu presenciei a cena junto com outras pessoas e resolvemos encaminhar um requerimento pedindo informações à secretária de educação, Márcia Roberg Cargnin, que é também presidenta do PP. Na hora, perguntei o que a moça fazia ali com os convites e ela mostrou-se nervosa e resolveu voltar à secretaria”, conta o vereador Odilon Aparecido de Souza, o Tito (PMDB).

Em sessão ordinária, os vereadores solicitaram informações à secretária, que respondeu por escrito (confira a resposta no box). “A funcionária não fez por maldade, para oferecer vantagem para algum candidato. Nós já enviamos a resposta ao requerimento. Houve um mal entendido, a moça deveria ter entregado os convites em outro horário que não o do trabalho”, explica Márcia.

O MP solicitou a investigação do caso. O promotor da 99ª zona eleitoral, Sadi Brigido Jung, disse que só irá se pronunciar nos autos do processo. Para Márcia, o caso não atrapalhará a corrida eleitoral. “O prefeito (Moacir Rabelo, PP) não sabia de nada. Vamos ver com a assessoria jurídica do partido quais os procedimentos que serão tomados. Mas acredito que não haverá maiores problemas e o caso será solucionado”, acredita.