Tubarão

Em nota de esclarecimento, a prefeitura de Garopaba informou que conseguirá manter os R$ 2 milhões para a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Os recursos repassados pelo governo federal estariam em uma conta na Caixa Econômica Federal da cidade praiana à disposição para a abertura de um novo edital, visto que a empresa contratada em 2014 alegou problemas financeiros e teve o contrato rompido.

O assunto foi destaque na edição de segunda-feira do Notisul. O Ministério da Saúde emitiu uma nota com o prazo de 15 dias para que a situação fosse regularizada. Segundo o governo federal, o sistema de monitoramento das obras não foi mais alimentado. 

A UPA de Garopaba teria a capacidade de atendimento médio de 150 pacientes por dia, projeto que beneficiaria também municípios próximos. Enquanto isso, a construção não passou da fase de fundação e a região segue na dependência das emergências dos hospitais, Regional, em São José, e Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão, distantes entre 60 e 80 quilômetros, e que atendem duas grandes regiões, com mais de 40 municípios.

Em Brasília, Temer anuncia mais dinheiro
Com R$ 1 bilhão de economia nos últimos quatro meses de sua gestão na saúde, o presidente Michel Temer trouxe ânimo novo para as obras que estão paradas por falta de recursos. É o caso da UPA em Tubarão, parada com 33% da obra desde março de 2014.  Na época, a avaliação de autoridades municipais e estaduais era de que seriam necessários mais R$ 2 milhões para a conclusão.