Próximo reitor irá administrar universidade com dois campi e mais de 50 mil alunos.
Próximo reitor irá administrar universidade com dois campi e mais de 50 mil alunos.

Amanda Menger
Tubarão

O Diretório Central dos Estudantes da Unisul deverá solicitar ao Conselho Universitário, nos próximos dias, a realização de uma audiência pública. O objetivo é discutir o processo eleitoral da universidade. Na semana passada, a reitoria da Unisul anunciou a composição da chapa para eleição para reitor.

Os candidatos oficiais da reitoria são para reitor Aílton Nazareno Soares, atual diretor do campus da grande Florianópolis, e para vice-reitor Sebastião Salésio Herdt, que já ocupa o cargo.
O Conselho Universitário aprovou na mesma semana a antecipação da eleição, para maio. A previsão inicial era setembro.

E esta antecipação é um dos questionamentos do DCE. “Queremos saber o porquê de adiantar este processo. No dia da reunião do Conselho, como representante dos estudantes, eu participei do encontro e só foi colocado em votação, não houve explicações. Aliás, praticamente não houve espaço para questionamentos”, declara o presidente Rafael Menegaz.

Os investimentos da Unisul nos campi sul (Tubarão e Araranguá) e norte (Grande Florianópolis e Norte da Ilha) foram motivo de discussão na reunião do conselho, entre o reitor, Gerson, e o presidente do DCE. “Eles apresentaram a prestação de contas dos sete anos de mandato do reitor. Neste tempo, Tubarão recebeu em torno de R$ 16 milhões de investimentos e Florianópolis, R$ 19 milhões. Só que, no último ano, a diferença entre os campi é grande: Tubarão cerca de R$ 1,7 milhão e Florianópolis R$ 9 milhões, aproximadamente. Eu questionei a diferença e o reitor não respondeu e chegou a alterar a voz”, relata.