Amanda Menger
Laguna

Se na região de Florianópolis a movimentação de turistas caiu 15% no primeiro mês do ano, no sul do estado a queda não foi tão sentida. A ocupação média da rede hoteleira em Laguna foi a mesma de janeiro de 2008: 60%. O resultado só não foi pior porque os argentinos vieram em ‘peso’ para Santa Catarina.
“Em comparação com o ano passado, cresceu 200% o número de argentinos visitando a região. O dólar em alta fez com que os preços dos produtos se tornassem atrativos no Brasil o que favoreceu a vinda deles. Fazer turismo aqui é muito mais barato para eles. Os turistas do Mercosul ‘salvaram’ o primeiro mês da temporada”, avalia o presidente da Associação dos Bares, Hotéis, Restaurantes e Similares de Laguna, Peterson Crippa.

A queda no número de turistas brasileiros deve-se às notícias das enchentes, principalmente a que atingiu Araranguá, no início de janeiro. “A divulgação das notícias das cheias foi muito grande, porém, não houve a contrapartida de informar que os destinos turísticos não tinham sido afetados. Isso fez com que muitas pessoas deixassem de vir para Santa Catarina e cancelassem as reservas. A nossa expectativa de movimento era muito maior”, afirma Crippa.
A expectativa dos hoteleiros para este mês é boa se comparada a fevereiro de 2008. “É que o mês é mais longo. Teremos 20 dias de diferença. As pessoas acreditam que depois do Carnaval a temporada acaba. Ano passado, a festa foi mais cedo, no início do mês. Cerca de 70% das vagas para o Carnaval já estão reservadas”, adianta Crippa.

Termas do Gravatal

Em Gravatal, a secretaria de turismo da prefeitura ainda não compilou os dados da ocupação hoteleira, mas avalia o movimento como positivo. “Antes, o verão não tinha uma procura tão grande. Observamos que isso tem mudado nos últimos anos. Muitas famílias do Rio Grande do Sul e do Paraná passaram as férias em Gravatal. Acredito que o número de turistas aumentou em relação ao ano passado”, analisa a secretária de turismo da prefeitura, Marta Régis Fogaça.