Com o resultado, Deyvisonn Souza (PMDB) vence mais uma batalha jurídica contra o seu opositor nas eleições deste ano   -  Foto:Divulgação/Notisul
Com o resultado, Deyvisonn Souza (PMDB) vence mais uma batalha jurídica contra o seu opositor nas eleições deste ano - Foto:Divulgação/Notisul

Jailson Vieira
Florianópolis

Desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) decidiram, ontem, manter o resultado das eleições em Pescaria Brava e, com isso, declinaram favoráveis à decisão em primeira instância do juiz Paulo da Silva Filho, titular da 20ª Zona Eleitoral da Comarca de Laguna. Ao proferir o veredito, o magistrado da 20ª Zona Eleitoral não anulou o pleito do município, porém cancelou todos os votos da seção nº 90 – somente para prefeito – na Escola de Educação Básica Honorata Freitas, no bairro Sertão do Siqueiro.

Representantes da Coligação ‘Pescaria Brava no Rumo Certo’, no qual tinha como postulante à majoritária o atual prefeito, Antonio Honorato (PSDB), que tentava a reeleição, entrou com o pedido de novas eleições na cidade, por acreditar que ocorreram irregularidades. O resultado oficial tinha apontado um voto de diferença entre o primeiro e o segundo colocado, que foi Honorato. Para o atual gestor, eleitores impossibilitados (fisicamente), como acamados e hospitalizados foram às urnas, o que, para ele, é algo controverso. O vencedor foi Deyvisonn Souza (PMDB), que ganhou por um voto de diferença no pleito do dia 2. Com a decisão do juiz da 20ª Zona Eleitoral e a manutenção do resultado pelos desembargadores, a vantagem a favor de Deyvisonn foi ampliada para 76 sufrágios.

“A lei estava a nosso favor e prevaleceu a nossa vitória. Agradeço minha família, militantes e correligionários. Agora, vamos comemorar a nossa vitória no próximo dia 17. A nossa diplomação ocorrerá no dia 15, no Salão Paroquial de Pescaria, às 19 horas. A mudança começará agora”, comemora o prefeito eleito. O caso ainda poderá ir parar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.