Zahyra Mattar
Tubarão

Até as 17 horas desta sexta-feira, Tubarão tinha 67.439 veículos em circulação pela cidade. Exatos 207 carros a mais do que o registro até 31 de agosto, quando a frota da Cidade Azul fechou o mês com 67.232.
Se este aumento registrado em apenas 15 dias continuar na mesma proporção, Tubarão fecha 2010 com uma frota superior a 69 mil veículos. Um número muito superior à infraestrutura que a cidade dispõe.

Outro ponto importante: esta quantidade de veículos não contabiliza a ‘frota flutuante’, ou seja, os motoristas de outros municípios que circulam diariamente pela cidade, especialmente nos dias úteis. “O que falta na cidade é engenharia de trânsito para organizar tudo. O município precisa pensar, com certa urgência, em mecanismos para melhorar o fluxo, são necessárias rotas alternativas. Nos horário de pico, como ao meio-dia, ou nos dias de chuva, é altamente complicado e perigoso trafegar pela cidade”, avalia o supervisor da 5ª Ciretran, Alexsandro da Silva.

E realmente há muito há ser revisto. Em muitas ruas, falta segurança aos usuários e sobra imprudência. As questões relacionadas ao trânsito, pontua Alex, estão diretamente ligadas às de educação. “Não há outra maneira. Na verdade, temos muitos condutores e poucos motoristas”, considera o supervisor.

Mas e tem diferença? Tem! O motorista é o cara que anda conforme a lei, dentro do limite de velocidade, respeita a sinalização. O condutor. Bom, o condutor anda por aí com uma arma com quatro rodas (ou duas, no caso dos motociclistas).

Infrações
No ano passado, conforme levantamento do Detran catarinense, feito em todo o estado, das 1.291.459 infrações cometidas no trânsito, 33,28% (ou 635.823) foram de condutores multados por transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20%. Entre os acidentes, a imprudência dos motoristas está entre as causas que mais fazem vítimas nas estradas (lei mais sobre o assunto na página 15 desta edição).