Agências públicas, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, poderão reabrir ainda hoje. Tudo dependerá do resultado das assembleias regionais, que ocorrem simultaneamente em todos os estados do país hoje pela manhã.
Agências públicas, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, poderão reabrir ainda hoje. Tudo dependerá do resultado das assembleias regionais, que ocorrem simultaneamente em todos os estados do país hoje pela manhã.

Zahyra Mattar
Tubarão

A manhã de hoje é uma espécie de ‘Dia D’ para os trabalhadores em bancos do país. Há 15 dias a categoria aguardava, em greve, por uma proposta da Federação Nacional de Bancos (Fenaban). Os novos índices foram ditados na última sexta-feira e serão avaliados hoje, em assembleias regionais que ocorrem simultaneamente em todos os estados brasileiros.

A Fenaban apresentou proposta de 9% de reajuste sobre salários (retroativo a 1º de setembro) e 12% de aumento no piso da categoria (passa dos atuais R$ 1.250,00 para R$ 1,4 mil). A Participação nos Lucros e Resultados (PLR) também teve avanço: passou para 2,2 salários e mais R$ 2,8 mil por ano.

Para o presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região (SEEBTR), Armando Machado Filho, a nova proposta é considerada boa, ainda que esteja aquém do que a categoria reivindica e muito mais longe ainda daquilo que os bancos podem oferecer.

“É um resultado positivo. Até porque o principal entrave era em relação ao reajuste. Agora, teremos 1,5% de aumento real”, avalia Armando.

O índice da Fenaban diz respeito à iniciativa privada. Contudo, é a partir deste percentual que o setor público (Caixa Econômica Federal e Branco do Brasil) elabora as suas propostas. Este ano ficou igual para ambas as redes.

Na base sindical em Tubarão, a assembleia ocorre hoje, às 9 horas. Caso decidam pela volta ao trabalho, é possível que todas as agências abram já no período da tarde.