Centenas de pessoas foram à Catedral ontem à tarde.
Centenas de pessoas foram à Catedral ontem à tarde.

Cristiano Carrador
Tubarão

Entre tantas mensagens, ações e reflexões ontem, na despedida ao prefeito Manoel Bertoncini, as da família, por meio da filha Laís, chamaram a atenção. Em um dos trechos, a declaração: “Todo este carinho, as homenagens, as orações, chegam até ele. Ele também vai estar vivo aqui na terra, através do nosso amor. Obrigada!”. Aplausos! Emoção! O agradecimento… O prefeito agradecia sempre, a todos, pelas orações, pelas vibrações positivas, depois da descoberta das suas dificuldades com a saúde. Se pudesse, seguramente o faria agora.

A população também agradece por sua dedicação, força, pelos exemplos de resignação. Deu para fazer tudo o que queria? Não! Nenhum gestor público poderá dizer que fez tudo sozinho. Um município, um estado, um país, um planeta é fruto das ações coletivas. De milhares de anos. O vice-governador Eduardo Moreira também destacou os belos exemplos do prefeito e citou um recado da esposa de Manoel, a médica Márcia Regina Pereira. “Perto dos seus últimos momentos, ele pediu à esposa: ‘Diga ao governador, ao vice, que as obras precisam continuar’. Por isto concluiremos, com o município, o Pronto Atendimento 24 horas, a Arena Multiuso, sonhos dele”, prometeu.

No campo de obras físicas, sem contar as ações pela saúde, com a ampliação das equipes de atendimento, Manoel iniciou ainda o Centro de Controle de Zoonoses, com canil, gatil, baias para animais de grande porte. Falta pouco para que tudo possa efetivamente funcionar. Foi uma promessa de campanha, cobrança da população, da filha. O prefeito deixou exemplos para muitos e principalmente no lar, com o zelo pela esposa, pelos filhos Igor e Laís, pelos pais…
Na cerimônia na Catedral Diocesana, o padre Sérgio Jeremias revelou uma conversa bem recente de Manoel com o padre Edison de Souza Müller. E entre as afirmações do prefeito, mais uma marcante, ficará para a história: “Eu não tenho medo de Deus!”. Lições de vida! Obrigado!

Música e salva de tiros

As homenagens para Manoel Bertoncini, o primeiro prefeito tubaronense que morreu durante o exercício, não encerraram com a fala do vice-governador, Eduardo Pinho Moreira (PMDB). A música preferida do prefeito de Tubarão foi interpretada ao vivo após a missa de corpo presente. Família e amigos ficaram emocionados com a execução da canção “Angel”, de Robbie Williams.
Para encerrar as homenagens, o Exército de Tubarão formou um corredor na saída da Catedral Diocesana. Uma salva de tiros foi executada, antes do corpo seguir para Balneário Camboriú, onde foi cremado, em cerimônia reservada.

Cerimônia religiosa foi emocionante

Angelica Brunatto
Tubarão

A Catedral Diocesana de Tubarão ficou pequena para o grande número de pessoas que foram orar pelo prefeito Manoel Bertoncini. Família, amigos, autoridades políticas e a população estiveram presentes na missa de corpo presente.

As coroas de flores, levadas pelas mais diversas pessoas, formaram um extenso corredor até a porta da igreja, para que o corpo pudesse seguir para a celebração, que iniciou às 16 horas de ontem.
Mas as homenagens ao prefeito começaram ainda durante o velório, com as apresentações do Coral Municipal e de um violinista.

Na igreja, uma celebração emocionante foi presidida pelo padre Sérgio Jeremias, que hoje ocupa o cargo de administrador diocesano. “Ele procurou viver! As pessoas que estão aqui (na igreja) são agradecidas pelo ser humano”, afirmou o padre. Ele continuou dizendo que a doença não o fez perder a vontade de viver e de trabalhar para a cidade que amava.

Ao fim da celebração, o agora prefeito de Tubarão, Pepê Collaço (PSD), declamou palavras em nome de todos os servidores da prefeitura. “Perdemos muito. Ele era um homem honesto, autêntico e verdadeiro, que lutava pelas suas vontades”, lembrou, bastante emocionado.

O governo de Santa Catarina também homenageou Manoel. Por meio do vice-governador, Eduardo Pinho Moreira (PMDB), mostrou o respeito à família. “Nos últimos 20 anos, nós conversamos muito. Eu lembro das risadas do Manoel e do quanto ele gostava de manter a família reunida”, lembrou o vice, recordando os momentos em que passavam juntos durante os verões em Laguna.