Tatiana Dornelles
Tubarão

Ontem, um dia após o temporal de verão, ocorrido domingo, em Tubarão, praticamente nada foi realizado em prol das famílias que tiveram as suas casas parcial ou totalmente destruídas. Os fortes ventos ‘detonaram’ muros, placas, outdoors, postes, telhas e tijolos. A localidade Área Verde, no bairro Passagem, foi uma das mais atingidas.

A autônoma Bianca Vera dos Santos sentiu ‘na pele’ as dificuldades. Com as chuvas de ontem à tarde, os móveis e objetos ficaram ainda mais molhados e ela e o marido tiveram que remover algumas telhas quebradas da área coberta para o telhado da casa, além de improvisar com plásticos para não molhar tanto dentro da residência.

“Não adianta muito, pois estão quebradas. A prefeitura poderia ter vindo aqui ajudar a gente e as outras tantas famílias. Não temos para onde ir. A chuva está estragando o pouco que temos, pois está entrando em casa, por todos os cantos”, diz Bianca, indignada e toda molhada.

O filho de Bianca, de 6 anos, por sorte estava na escola ontem. “Se ele não estivesse na aula, não sei o que seria dele. Pelo menos uma lona poderíamos ganhar. Está difícil”, reclama Bianca. Durante o vendaval, o instinto de mãe falou mais alto. “Peguei meu filho e o coloquei embaixo da mesa para não cair nada em cima dele”, lembra.

O morador Vânio da Rosa, da mesma localidade, também estava indignado com a situação. “Não recebemos nenhuma ajuda até agora. Tem muita gente que precisa”. Segundo ele, a dona de casa Arlinda Espíndola de Souza e a filha foram fazer uma visita ao prefeito Carlos Stüpp para pedir ajuda. As duas estão abrigadas na igreja evangélica da comunidade.

Por várias vezes, ontem à tarde, o secretário de planejamento e coordenador da defesa civil da prefeitura, Edvan Nunes, e a secretária de assistência social, Vera Lúcia Campos Stüpp, foram procurados pela redação do Notisul. Os seus celulares estavam desligados.